Advogado exige que morte de músico seja investigada pela Delegacia de Homicídios

Pedido foi feito pela família por acreditar em parcialidade da Justiça Militar. Pedido de indenização já está em andamento

Por RENAN SCHUINDT

A esposa da vítima, Luciana Nogueira compareceu ao IML, no Centro do Rio, nesta segunda-feira
A esposa da vítima, Luciana Nogueira compareceu ao IML, no Centro do Rio, nesta segunda-feira -

Rio - O advogado da família do músico Evaldo dos Santos Rosa, de 51 anos, morto no último domingo, em Guadalupe, por soldados do Exército, disse que vai solicitar à Justiça que a Delegacia de Homicídios (DH) investigue o caso. De acordo com João Tancredo, o pedido foi feito pela própria família, por acreditar que haja parcialidade por parte da Justiça Militar, em casos como este. Além disso, outras duas ações serão movidas contra a União.

"Estamos indignados com a nota divulgada pelo Comando Militar do Leste. Um texto leviano, que acusa a vítima de ter feito disparos contra os militares. Coisa que não aconteceu. Queremos saber quem foi o autor desta nota e responsabilizá-lo", argumenta o advogado. Ainda segundo Tancredo, o pedido de indenização já está em processo de abertura. "Evaldo era o único provedor da família. Agora, o Estado precisa reparar o que fez, o quanto antes", analisa.

Para o advogado, a morosidade nos processos ainda é o maior problema enfrentado por essas famílias, após a tragédia. "A lentidão existe porque são poucos os que querem trabalhar de verdade. Além disso, há um preconceito muito grande. As vítimas são sempre pessoas pobres, que têm seus direitos esquecidos", afirma João Tancredo.

Sepultamento

O sepultamento de Evaldo Rosa está marcado para esta terça-feira, no cemitério de Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte. Ainda não há horário definido. Uma manifestação está sendo organizada para o mesmo dia.

Comentários