Uso de FGTS em parcelas atrasadas

Por O Dia

Os trabalhadores com parcelas atrasadas do financiamento habitacional ganharam mais tempo para acertar o débito com o saldo do FGTS. O Conselho Curador do fundo prorrogou o prazo que terminaria no fim do mês para até dezembro do ano que vem.

Mas de acordo com o Ministério do Trabalho, não é possível usar o valor do FGTS para quitar toda a parcela. O fundo pode cobrir apenas 80% do valor. Se um parcela for de R$ 1 mil, por exemplo, o fundo pode quitar R$ 800. Os R$ 200 restantes têm que ser desembolsado pelo trabalhador.

O conselho também aprovou a possibilidade de empresas privadas devedoras do FGTS parcelarem os débitos rescisórios dos empregos. Segundo o ministério, oito milhões de trabalhadores que saíram de companhias que não depositavam o fundo dos funcionários serão beneficiados pela medida.

Segundo o ministério, muitas empresas com débitos não depositam os 8% referentes ao FGTS alegando dificuldades financeiras e, no momento da rescisão, não pagam o que devem, pois outra resolução obrigava pagamento à vista.

Comentários

Últimas de Economia