Henrique Pizzolato pede regime semiaberto ao STF

Ele quer deixar o presídio durante o dia

Por O Dia

Brasília - O ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para passar do regime fechado para o semiaberto, em que pode deixar o presídio durante o dia e trabalhar. Há cerca de sete meses Pizzolato foi extraditado da Itália para o Brasil.

O pedido será analisado pelo ministro Luís Roberto Barroso, que é relator das execuções penais do mensalão. Na ação, os advogados argumentam que Pizzolato já cumpriu um sexto da pena, como exigido pela Lei de Execuções para a progressão de regime.

Ele poderá, no entanto, ter o benefício negado porque, em novembro de 2013, fugiu do Brasil. Pizzolato foi condenado a 12 anos e 7 meses de prisão pelos crimes de formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro. 

Pizzolato pediu regime semiaberto ao STFAgência Brasil


Últimas de Brasil