Ricardo Cota: Meryl Streep vive roqueira arretada

O olhar documental capta o comportamento da América mais tacanha

Por O Dia

Meryl Streeep na pele da roqueira Ricki do grupo The FlashReprodução Internet

Rio - ‘De Volta Para Casa’, ou ‘Ricki and The Flash’, no original, traz a assinatura de Jonathan Demme, cineasta cujo currículo prima pela forma confortável como transita entre gêneros e estilos diversificados. Trazem seu nome, por exemplo, o documentário histórico ‘Stop Making Sense’, com os Talking Heads, a comédia de ação ‘De Caso com a Máfia’, o eletrizante suspense ‘O Silêncio dos Inocentes’ e o drama consagrado pela Academia de Hollywood ‘Filadélfia’.

Demme, portanto, destaca-se por realizar filmes de fácil comunicação que ao mesmo tempo oferecem um olhar crítico para os hábitos da sociedade norte-americana. Nos últimos anos, no entanto, dedicou-se mais ao documental e às séries de tevê do que aos filmes para cinema, realizados esporadicamente. ‘De Volta para Casa’ reflete este momento “entre-linguagens” do diretor.

O filme segue a batida da dura vida de Ricki, uma roqueira sexagenária, que divide seu tempo entre o caixa de um supermercado e as noitadas como band leader do grupo The Flash, que se apresenta numa birosca. A rotina é interrompida quando recebe o chamado do ex-marido (Kevin Kline) para visitar a filha, vítima de uma depressão pós-separação. O reencontro serve de oportunidade para uma visão agridoce das famílias disfuncionais norte-americanas.

Meryl Streep domina a cena como a roqueira contraditória, cheia de atitude porém saudosa da América republicana. Hábitos e sobretudo a expressão corporal da personagem são explorados com o talento inquestionável da atriz. A ela pertencem os melhores momentos do filme, com destaque para um jantar constrangedor em que ela reencontra todos os familiares num restaurante luxuoso.

‘De Volta Para Casa’ certamente será lembrado pela interpretação despojada de Streep. Mas é bom destacá-lo também como um filme particular na carreira de Jonathan Demme. Aqui o olhar documental capta o comportamento da América mais tacanha e politicamente correta com lente bem ajustada. Por outro lado, guarda certa nostalgia da linguagem dos ultrapassados clipes musicais. Como a ótima Ricki de Meryl Streep, ‘De volta para Casa’ é rebelde na atitude mas careta na forma.

Últimas de Diversão