Hulk sofre racismo em jogo na Rússia e Spartak de Moscou pode ser punido

'No primeiro tempo, pude ouvir imitações de macaco. Isso se repetiu na saída para o intervalo', afirma o atacante brasileiro

Por O Dia

Caso de racismo contra Hulk, no último sábado, tem sido investigado por Comitê Disciplinar russoEfe

Rússia - O Comitê Disciplinar da federação da Rússia está analisando imagens de mais um episódio de racismo no campeonato local. Imagens e vídeos registraram manifestações da torcida do Spartak de Moscou contra o brasileiro Hulk, do Zenit. O atacante confirmou ter sido insultado no empate do último sábado, em São Petersburgo. 

"Passei por um caso de racismo no último jogo. No primeiro tempo, pude ouvir imitações de macaco, e não eram gritos isolados, mas sim de um grande grupo de pessoas. Isso se repetiu na saída para o intervalo. Levo isso como uma afronta pessoal e um insulto contra o clube. Essas coisas são absolutamente inaceitáveis e as autoridades do futebol precisam ser consistentes na briga contra o racismo", revelou o jogador em entrevista ao "Sport Express".

Pai depõe à Justiça da Espanha sobre negociação entre Neymar e Barcelona

Os insultos teriam ocorrido aos 25 e 45 minutos do primeiro tempo. Por isso, o Spartak de Moscou deve ser obrigado a jogar suas partidas em casa com portões fechados. A Federação russa tem tomado esta medida no combate ao racismo. Há pouco mais de uma semana, o zagueiro Samba, do Dínamo, sofreu insultos e o Torpedo foi punido. 


Últimas de Esporte