Inadimplência avança 3,76% em março, diz SPC

Segundo a instituição, existem hoje 54,7 milhões de devedores negativados; bancos representam 47,71% do total de dívidas

Por O Dia

O número de consumidores inadimplentes no mês de março aumentou 3,76% em relação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). O resultado representa um avanço, quando comparado a fevereiro deste ano, que registrou 2,33%, mas fica muito próximo da alta de março de 2014, que somou 3,46%.

O mesmo movimento foi observado com a quantidade de dívidas não pagas: a elevação em março foi de 3,46%, acima dos 1,81% registrados em fevereiro e semelhante ao crescimento de 3,5% em março do ano passado.

Em números absolutos, o SPC Brasil estima que em março deste ano havia 54,7 milhões de consumidores negativados, número equivalente 37,50% da população entre 18 e 95 anos.
De acordo com a instituição, existem dois fatores que atuam de forma contrária sobre os números de inadimplência, que mantêm as variações positivas em relação ao ano passado, mas sem fazer com que haja uma tendência declarada de aceleração.

“O primeiro deles diz respeito aos efeitos da atual conjuntura macroeconômica desfavorável, que têm dificultado o pagamento das contas, o que naturalmente tende a elevar os índices de inadimplência. Por outro lado, houve a partir de 2013 e com mais intensidade em 2014, um recuo na demanda e na oferta de crédito na economia brasileira, o que tende a frear o consumo e reduzir a inadimplência”, explicou em nota.

O detalhamento da pesquisa mostra que bancos constituem o setor credor com maior fatia do total de dívidas em atraso, com 47,71%. O comércio vem em segundo lugar, com 20,42% do total. Em seguida, aparece o setor de comunicações com 15,3%. As dívidas atribuídas à outros correspondem a 9,54% do total, enquanto gastos com água e luz somaram 7,03%.

Busca do consumidor por crédito cresce em março

Após ter recuado por dois meses consecutivos — quedas de 2,5% em janeiro e de 10,7% em fevereiro — a demanda do consumidor por crédito reagiu em março. De acordo com a Serasa Experian, a quantidade de pessoas que buscou crédito avançou 16,7% em março frente ao mês anterior. Também na relação com março de 2014, houve avanço de 14,9%, fazendo o primeiro trimestre de 2015 encerrar com alta acumulada de 5,9% na demanda do consumidor por crédito, quando comparada com o primeiro trimestre do ano passado.

Últimas de _legado_Notícia