Casa Cor lança franquia de projetos imobiliários

Objetivo é levar atributos da marca a empreendimentos de alto padrão. Com negociações em algumas cidades, a expectativa é que o primeiro projeto seja lançado já em 2015

Por O Dia

Na contramão do restante do mercado imobiliário brasileiro, que apresenta grandes estoques, o segmento de alto luxo ainda apresenta boas oportunidades. Uma prova disso é que o Grupo Casa Cor, que promove feiras de decoração, arquitetura e paisagismo, anunciou a criação de um novo conceito imobiliário em parceria com o empresário Mauricio Eugenio. A ideia é levar os atributos da marca para condomínios residenciais exclusivos em diversas cidades do país.

“Não temos estoque nesse setor, pois são poucos lançamentos. Vemos estoques apenas de empreendimentos de médio padrão. A demanda está aí e o mercado precisa voltar a pensar em apartamentos maiores. Atualmente, quem tem bons terrenos opta por apartamentos pequenos, que gerem tíquete palatável. Mas muitas famílias querem espaços mais generosos”, diz o presidente do Grupo Eugenio, Mauricio Eugenio. “A verdade é que indústria ainda busca caminhos para atender às exigências desse consumidor”, acrescenta ele.

O presidente do Grupo Casa Cor, Angelo Derenze concorda: “O Brasil inteiro virou um canteiro de obras. E o potencial do país para ainda absorver esse tipo de empreendimento é enorme”.

Com três negociações já bem avançadas, nas cidades de São Paulo, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, a expectativa é que o primeiro projeto assinado pela Casa Cor saia do forno já no ano que vem. “Queremos revolucionar o setor com um novo conceito de morar. Podemos colocar nosso nome em empreendimentos imobiliários e ajudar construtoras e incorporadoras que queiram agregar valor com curadoria da Casa Cor, para fazer empreendimentos diferenciados. Esse mercado precisa de novidades”, diz Derenze. “Geralmente, o incorporador já tem local definido e a ideia é colocar a alma do grupo no empreendimento. Não é uma jogada de marketing”, completa.

O Grupo Eugenio será o responsável pela aproximação com incorporadoras e construtoras. Para garantir a exclusividade de cada projeto, haverá apenas um empreendimento Casa Cor por cidade.

“Queremos transformar produto imobiliário em obra de arte. O Casa Cor, através da curadoria, vai acompanhar todo o desenvolvimento desses projetos, com a sugestão de materiais, de produtos e de grandes nomes da arquitetura brasileira”, explica Mauricio Eugenio. O objetivo, ressalta ele, é lançar dez empreendimentos em um ano e o Valor Geral de Vendas (VGV) desses primeiros projetos de cerca de R$ 1 bilhão. Rio de Janeiro, Goiânia, Fortaleza, Maceió e Porto Alegre também estão entre as cidades de interesse.

Segundo Derenze, a inspiração foram marcas de luxo internacionais que associam seus nomes a projetos em diferentes segmentos, como o Hotel Armani, em Dubai e Milão, e o edifício Porsche Design Tower, em Miami. “Nossos cálculos indicam que o incorporador poderá cobrar de 10% a 20% a mais por metro quadrado em um empreendimento com a nossa assinatura”, completa ele.

A volta dos bairros planejados no Rio de Janeiro

Os bairros planejados ganham força no mercado carioca e são uma das apostas das construtoras. Com cerca de 600 mil metros quadrados e investimentos de R$ 120 milhões em obras de infraestrutura nos próximos cinco anos, o Pontal Oceânico — projeto das construtoras Calçada, Calper, Even, Gafisa e RJZ Cyrela, no Recreio dos Bandeirantes, zona Oeste —, registra bons índices de venda.

Um dos empreendimentos que o bairro abrigará é o Frames Residence Vila da Mídia, da Calper, que vai receber a imprensa internacional nas Olimpíadas de 2016. Desde seu lançamento, já foram comercializadas 80% das unidades. “Nós fomos surpreendidos pelo grande interesse, com 50% das pessoas que compram para morar e os outros 50% de investidores, que acreditam no desenvolvimento do bairro”, diz a diretora comercial da Calper, Gisele Barreto.

Também no Pontal Oceânico, a construtora Calçada lançou na em maio, o MAUI Unique Residences, que terá como um dos diferenciais um espaço de beleza assinado pelo Werner Coiffeur. Serão 377 unidades em quatro blocos, com Valor Geral de Vendas (VGV) estimado de R$ 253 milhões.

Outro exemplo é o Alphaville Barra, da Gafisa, também na zona Oeste, que já está com cerca de 50 casas em construção. Todos os lotes estão vendidos e os prédios estão com as vendas adiantadas. “O AlphaLand, lançado em 2013, já está 80% vendido, e o AlphaGreen, lançado há um mês, está em 40%”, diz o gerente de negócios da Gafisa, Gabriel Fidalgo.

“Bairros planejados voltam a ser tendência, pois vêm com lazer, serviços e segurança. Eles são pensados principalmente para Zona Oeste, porque há mais áreas disponíveis”, completa ele.

Últimas de _legado_Notícia