Reconstituição de morte de surfista Ricardinho gera tumulto

Multidão cerca carro com PM que matou o surfista Ricardinho

Por O Dia

Santa Catarina - Dezenas de pessoas cercaram nesta terça-feira, após a reconstituição da morte do surfista Ricardo dos Santos, em Guarda do Embaú, em Palhoça, em Santa Catarina, o carro da Polícia Militar onde estava o assassino, o soldado da PM Luís Paulo Mota Brentano. Aos gritos de “assassino”, eles tentaram retirá-lo do veículo, mas os policiais conseguiram furar o cerdo e deixar o local.

A reconstituição foi feita para tentar identificar contradições de Brentano, que alega legítima defesa quando feriu Ricardinho, com dois tiros, na manhã do dia 19. O atleta, baleado pelas costas e pela lateral do corpo, morreu no dia seguinte.

Multidão cerca o carro da PM e chama soldado de ‘assassino’ Anderson Pinheiro / Agência O DIa

Participaram da constituição o avô de Ricardinho, Nicolau dos Santos, que estava com ele na hora do crime, a mãe do atleta, Luiciane dos Santos, e um irmão menor de Brentano. Jornalistas não puderam se aproximar do local da reconstituição, isolado por cerca de 100 policiais militares.

Quando o comboio da polícia que levou o assassino chegou, dezenas de pessoas, com cartazes e usando camisas com a inscrição “somos todos Ricardinho”, cantaram o Pai Nosso. Além da versão do policial que matou o surfista, que alega que atirou para evitar ser agredido por ele, que estaria com um facão, a polícia investiga a apresentada pelo avô de Ricardinho. Ele contou que o neto foi morto ao discutir com Brentano porque ele se recusou a tirar seu carro da porta da casa da família.

Últimas de _legado_Brasil