Acusados de tortura no Morro do Chaves são presos

Amigos foram espancados porque moravam em favela ‘rival’

Por O Dia

DG e PavuninhaDivulgação

Rio - A polícia prendeu quinta-feira dois traficantes acusados de torturar um casal de amigos no Morro do Chaves, em Barros Filho. Após o crime, uma das vítimas morreu. Entre os presos pela 39ª DP (Pavuna) está Diego Silva de Souza, o DG, acusado de ser o chefe da quadrilha da favela e responsável pelo espancamento, semana passada.

A prisão foi realizada três dias após O DIA revelar o drama de moradores da Pavuna, Costa Barros e Barros Filho, que ficam sob o fogo cruzado da guerra entre quadrilhas rivais.

As vítimas foram espancadas por oito bandidos e jogadas no Rio Acari, só porque moravam em comunidade dominada por quadrilha rival à do Chaves. Além das agressões, Andressa Cristina Silva Cândido, 19 anos, ainda foi estuprada e morreu no hospital. O amigo dela, que também tem 19 anos, reconheceu DG como um dos algozes do casal. Segundo policiais, o criminoso confessou a tortura dos amigos que moravam no Morro da Quitanda. O traficante teve a prisão temporária de 30 dias expedida.

Maurício Augusto Rodrigues, o Pavuninha, que, segundo investigações, é um dos ‘soldados’ do tráfico do Morro do Chaves, também acabou preso. A polícia agora tenta identificar os outros agressores.

PM pode criar posto avançado

A Polícia Militar estuda a criação de uma Companhia Destacada na antiga sede da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas, na Pavuna. A delegacia especializada deve deixar o local na semana que vem, quando se muda definitivamente para a Cidade da Polícia, no Jacarezinho.

Últimas de Rio De Janeiro