Seguranças do Museu Nacional ameaçam entrar em greve

No entanto, mesmo com paralisação, segundo assessoria, empresa terceirizada garantirá funcionamento do museu. Situação da equipe da limpeza ainda é incerta

Por O Dia

Rio - Com o pagamento atrasado desde sexta-feira, os seguranças do Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, decretaram greve e ameaçam não ir trabalhar nesta segunda-feira. Além do salário, o vale transporte e o ticket refeição, que deveriam ter sido depositados no último dia útil de abril, também estão atrasados. Outra categoria que sofre com atrasos na unidade administrada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ) é a limpeza.

LEIA: 'Situação é de crise, mas o que fazer com alunos?', diz novo reitor da UFRJ

Segundo a assessoria do Museu Nacional, após a paralisação feita pelos funcionários da limpeza na última sexta-feira, um grupo se propôs a manter os banheiros do museu limpos até que os pagamentos fossem regularizados. Na tarde desta segunda-feira, uma reunião envolvendo o diretor adjunto de Administração, Wagner Martins, decidirá a situação dos funcionários da Qualitécnica, empresa terceirizada que presta o serviço de limpeza para o museu.

Museu Nacional%2C na Quinta da Boa VistaPaulo Araújo / Agência O Dia

A questão dos seguranças ficou decidida nesta manhã. Após reunião, o setor da universidade responsável pelos pagamentos dos contratos decidiu pagar o empenho na quarta-feira. Sendo assim, os seguranças devem receber até o fim da semana. Ainda de acordo com a assessoria, para que o museu funcione normalmente nesta segunda-feira, mesmo que seguranças faltem ao trabalho, a empresa terceirizada Angels se comprometeu a deslocar funcionários de outras unidades para o local.

Últimas de Rio De Janeiro