Coluna Esplanada: Sinal vermelho acende no PT após perda de 400 prefeituras

Mudanças de diretórios para sedes modestas, campanhas de filiação e a volta da venda de produtos no varejo – camisas, bótons – levam a legenda de volta às origens

Por O Dia

Brasília - Acendeu literalmente o sinal vermelho no Partido dos Trabalhadores após o naufrágio do primeiro turno das eleições, da perda de 400 prefeituras e de importantes cargos no Governo Federal. Com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. O PT deixou de ser um grande partido, com a perda também de milhares de vereadores. Mudanças de diretórios para sedes modestas, campanhas de filiação e a volta da venda de produtos no varejo – camisas, bótons – levam a legenda de volta às origens.

Sorriso (só na foto)

Lembram da ausência da foto de Dilma Rousseff na galeria de ex-presidentes, no Planalto, que citamos? Ontem o quadro com a foto enfim foi afixado, ao lado de Lula.

Memória

Ou seja, a Dilma o que é de Dilma – pelo menos a memória e o sorriso numa parede.

Nota fiscal

Candidato derrotado para a prefeitura de Juazeiro do Norte (CE), Gilmar Bender espalhou outdoors com a frase: “obrigado pelos 44.321 votos pagos todos à vista”.

Turismo de fato

Para um Governo quebrado, o Distrito Federal esbanja charme e o secretário de Turismo, Jaime Recena, mostra que sabe fazer.. turismo. Foi para Las Vegas, e fica até 21, com tudo pago pelos cofres, para prestigiar o Red Bull Air Race.

Mais Goiás

O PSDB elegeu 35 prefeitos a mais que o PMDB, que venceu em 42 cidades. Ainda assim, parte dos prefeitos peemedebistas eleitos apoiam o tucano Marconi Perillo. A cúpula tucana faz uma radiografia no Estado, um dos maiores colégios do País.

Tá barato

Um relógio IWC Ingenieur ‘com caixa de platina e cerâmica’ está anunciado a R$ 1,03 milhão (isso mesmo), na revista GQ Magazine de Outubro. E tem quem compre.

Premeditado

José Mariano Beltrame chutou o balde, cansou, encheu o saco. Essa é a versão extraoficial. A Coluna antecipou dia 28 de agosto que ele sairia por estes dias do cargo de Secretário de Segurança do Rio. A guerra no Pavãozinho foi o estopim.

Jogada ensaiada

O senador Otto Alencar abriu há dias a sessão da Comissão do Desenvolvimento Nacional, responsável pela análise dos projetos da Agenda Brasil, mesmo com quorum insuficiente de apenas nove senadores. Foi jogada para avançar a legalização dos Jogos.

Fichas à mesa

Na carona, jogada combinada, o relator do PLS 186/16 (legalização dos Jogos), senador Fernando Bezerra, adiantou posição sobre as emendas apresentadas. O senador Ciro Nogueira, autor do projeto, propôs emenda de plenário, que foi atendida e aprovada.

Jogo marcado

Bezerra disse que iria disponibilizar a nova versão do relatório no site da tramitação. Depois disso, foi concedida vista coletiva para que os senadores analisem as mudanças. A votação foi remarcada para o dia 19.

Aplauso geral

A Galpão Aplauso, ONG do setor portuário do Rio, reuniu CEOs dos EUA, Canadá, Coreia, Alemanha e Arábia Saudita para aulas de, acredite, gerenciamento. E os gringos levam muito a sério. É o sexto ano do projeto.

Sempre aprendizes

A turma da gravata tem nomes de grandes empresas como a alemã Lufthansa e a coreana LG no módulo do International Masters Program for Managers (IMPM). A ONG promove a formação cidadã e prepara jovens em situação de risco para o mercado.

Dotzando

A Dotz, maior programa de fidelidade do varejo brasileiro, chegou aos 15 anos e 20 milhões de clientes no País. Os cariocas se destacam na adesão. Há apenas 11 meses no Rio, Dotz já conquistou mais de 1,4 milhão de pessoas.

?Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil