Música no mundo digital no CCBB

Festival traz aulas e debate ensinando a divulgar seu som na web, além de show com Juçara Marçal

Por O Dia

Rio - O velho lema “faça você mesmo” vem com força na segunda edição do projeto ‘Espaço Sideral’, que retorna ao Centro Cultural Banco do Brasil com oficinas e uma masterclass com o tema ‘Do It Yourself - Música Independente’. Hoje, às 13h, o rapper Du Brown fala sobre softwares para produção digital e, às 16h, Jez Soares e Camila Pimenta falam Juçara Marçal: a música de Minas Gerais vai ao palco do CCBB sobre transmissão de shows pela internet. Às 18h30, o rapper MC Marechal, o músico Vitor Isensee (Braza) e Bruno Costa (da agência digital Milk, que já trabalhou com contas como as da Legião Urbana Produções e da gravadora Biscoito Fino) debatem sobre distribuição digital e estratégias de lançamento na era pós-digital.

O evento continua amanhã, apresentando masterclass às 17h30 com Cadu Tenório, especializado em música eletrônica, sobre experimentações artísticas com tecnologia audiovisual e sonora. Fechando, às 19h30, Cadu junta-se à cantora Juçara Marçal que também é integrante da banda Metá Metá - para um pocket show baseado no repertório do disco ‘Anganga’, só de temas de música folclórica mineira. Todo o festival tem entrada gratuita.

BAIXAR CUSTOS

Tanto o ‘Espaço Sideral’ quanto a junção com a programação do CCBB foram pensados para trabalhar a arte na era digital (sua produção, distribuição etc). Ainda este ano, acontecem seminários com os temas ‘Cidades Criativas’ (dias 14 e 15 de setembro) e ‘Empoderamento Digital’ (dias 12 e 13 de outubro).

“Desejamos mostrar, de forma prática e lúdica, que a criação e a difusão de serviços e produtos culturais e artísticos se tornam acessíveis na sociedade da informação que vivemos hoje, não sendo necessários investimentos de alto custo, mas criatividade, conectividade em redes, acesso ao conhecimento e empoderamento digital”, diz a coordenadora do ‘Espaço Sideral’,

Gisele Andrade. Fábio Cunha, gerente geral do CCBB Rio, completa dizendo que pretendem, com o festival, falar sobre o digital no que diz respeito às suas contribuições à sociedade ao empreendedorismo. “Vamos oferecer uma reflexão sobre isso”, diz.

Na organização do Sideral, vários artistas que trabalham em coletivos ou de forma individual, e que estão acostumados à ocupação de espaços públicos do Rio. Dentre os eventos já criados por eles, estão festivais e ocupações como ‘Quermesse’, ‘Faz na Praça’, ‘Viaduto Laranjeiras’, ‘Festival Intersessão’ e outros.

Últimas de Diversão