Regina Casé admite que o formato do ‘Esquenta!’ estava desgastado

Apresentadora decidiu rodar o país novamente, atendendo a pedidos do público

Por O Dia

Rio - Regina Casé revisitará os tempos das atrações ‘Programa Legal’, ‘Brasil Legal’, ‘Muvuca’ e ‘Central da Periferia’ na nova temporada do ‘Esquenta!’, que estreia hoje, na Globo.

Regina Casé sai do estúdio e volta a viajar pelo país na nova temporada do 'Esquenta'João Januário / TV Globo

Depois de sair do ar em novembro do ano passado e ceder a vaga na grade para ‘The Voice Kids’ e ‘Tamanho Família’, o programa aposta todas as suas fichas em uma edição que mostra a apresentadora almoçando a cada edição com uma família de uma parte do país e “conversando” com ela mesma no palco dos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro. Um recorte de histórias, alegrias, emoções e músicas, sem apelar para o sensacionalismo desmedido.

“A televisão está legal disso de pieguice, sensacionalismo”, frisa Regina, que admite desgate na atração lançada em 2011. “Fizemos temporadas maravilhosas, superexitosas, e quando viramos um programa de linha, a gente nunca parou para transformar o programa de temporadas em um programa do ano inteiro”, completa.

RETROCESSO E CONCORRÊNCIA
O fato de o programa “sair” do estúdio no Rio é uma das antigas reclamações do público. Telespectadores achavam que a atração era muito setorizada no estilo carioca, mostrando principalmente samba e funk, o que não atraía tanto a atenção de São Paulo — principal mercado de audiência. “As pessoas sempre falavam: ‘Você tem que voltar para viagem, para rua’. E eu pensava: ‘Mas se eu voltar para fazer o ‘Brasil Legal’ vai ser um retrocesso’”, lembra Casé, comparando com seu antigo programa que viajava pelo país. O ‘Esquenta!’ chegou até a investir em mais músicas sertanejas, para agradar outras praças, mas viu a concorrência externa agir — em especial ‘Domingo Show’, da Record, e ‘Domingo Legal’, do SBT.

Fato é que o ‘Esquenta!’ começou em formato de temporadas, mas depois que virou programa de linha, com lugar cativo na grade, chegou ao número de 170 edições diretas. E o público ansiava por um gás. Inicialmente, a atração voltaria ao ar no dia 15 de março, mas Regina e sua equipe pediram um tempo. “O programa seria normalmente o ano todo, mas pedimos para parar, a gente queria viajar. Foi uma negociação, e conseguimos essa carta branca. Acho que foi muito legal”, vibra a apresentadora.

A DINÂMICA
Cada programa será de um jeito e com a família do episódio funcionando como a espinha dorsal da atração. Para Regina, só o amor pelo ‘Esquenta!’ justifica o fato de o público querer recebê-la e sua equipe em casa. Isso sem levar em consideração as implicações com a visita ilustre.

“É um transtorno! Arrasta a mesa, quase que o boom — microfone — quebra o lustre, eu grito ‘Cuidado!’ para o câmera que vai de ré e quase derruba o jarro”, recorda. Os perfis das famílias são sempre bem diferentes. Como a família de judeus ortodoxos, de Belém, que assiste ao programa vidrada na TV. Mas quando Regina foi gravar na Bahia, o cenário era outro.

“Eu pedia para os baianos se sentarem, para vermos o ‘Esquenta!’, mas eles falavam: ‘Não, a gente só assiste em pé, é melhor para dançar’. Então, na Bahia ninguém sentou e em Belém ninguém levantou. E para mim, as duas experiências são interessantíssimas, não tem um padrão, é sempre muito diferente”, comemora.

ROTATIVIDADE
E por falar em auditório, o espaço ficou bem menor do que antes. Como o protagonismo do programa é o almoço na casa da família, desvendando as histórias curiosas de cada clã e sua cidade, o espaço na Globo foi reajustado. Por exemplo, nem sempre terá a presença de todos os integrantes da família ‘Esquenta!’.

“Tem um programa que o Péricles fez show e não pode ir, no outro não vem a Luane e o Douglas, mas vem as crianças. Por causa do novo espaço, não dá para levar todo mundo. É besteira levar aquele mundaréu de gente para ficar à toa”, salienta.

Comparando as duas atrações, quem dá mais trabalho, o antigo formato ou o novo ‘Esquenta!’? “Eu ganho a mesma coisa, a gente tem o mesmo dinheiro para fazer o programa. Esse, dez vezes mais, e o que eu ganho com isso? Amor e alegria”, frisa.

FUTURO INCERTO
Se o futuro é incerto para a apresentadora e equipe, o destino do programa começará a ser delineado a partir de hoje. Mas, segundo Regina Casé, dentro da Globo, os elogios são grandes sobre o novo estilo do programa.

“Temos uma encomenda de uma temporada de três meses e é isso que a gente vai entregar. Mas se no ano que vem é ‘Esquenta!’ ou não, se é no domingo ou em outro horário, se tem esse nome ou não, só sei que esse formato está sendo um trampolim”, diz. 

Últimas de Televisão