Conta Social: Sustentabilidade no DNA das marcas

A edição 2016 do Sustainable Brands, que acontece no Armazém da Utopia, tem como tema central o Activating, uma das grandes questões do mundo corporativo atual

Por O Dia

Rio - Não basta ser sustentável. É preciso parecer sustentável. Numa sociedade cada vez mais conectada com o tema, as empresas têm um grande desafio: como criar vínculos com pessoas, grupos e coletividades em torno de suas marcas, de forma coerente e engajada? Líderes de organizações preocupadas em aplicar a inovação com sustentabilidade em seus negócios têm encontro marcado no Rio esta semana.

A edição 2016 do Sustainable Brands, que acontece na terça e quarta-feira, no Armazém da Utopia, na Zona Portuária, tem como tema central Activating Purpose (ativando propósito), uma das grandes questões do mundo corporativo atual. 

Gerente de Inovação do Pão de Açúcar, João Mariano acredita que marcas precisam (re)inventar experiências que melhorem a vida das pessoas e que causem impacto positivo na sociedade. A empresa levará para o evento um projeto que desenvolve desde 2002, o Caras do Brasil, que abre espaço para pequenos produtores. A proposta, garante, é gerar riqueza às populações menos favorecidas e estimular o consumo consciente.

Já a Natura abordará no evento o empoderamento feminino, a participação da mulher na tomada de decisão e sua contribuição para a sociedade. Na Visão de Sustentabilidade da companhia está o compromisso de ter 50% dos cargos de diretoria e vice-presidência ocupados por mulheres até 2020.


Rio ganha nova usina de biodiesel

Enquanto o Brasil corre o risco de ver aprovado pela Câmara dos Deputados um projeto de lei de 2011 que libera a fabricação de veículos leves a diesel — um claro retrocesso frente aos esforços para reduzir os níveis de poluição nas grandes cidades — no Rio de Janeiro, uma boa notícia. A Secretaria Estadual de Ambiente acaba de liberar a licença de Instalação para a pré-operação de uma nova usina de biodiesel.

Com investimentos de R$ 30 milhões, a Olfar vai consumir mil toneladas/mês de óleo de cozinha usado. O novo parque industrial deverá gerar cerca de 50 empregos diretos e centenas de indiretos, com o estímulo da cadeia de compra do óleo de cozinha usado, hoje um grande poluidor. A meta é, em um ano, dobrar a quantidade de óleo de cozinha usado em sua produção, chegando a cinco mil toneladas/mês.


Boas ações em dia

- Ações de ética e responsabilidade social fazem parte do Conscientiza Carioca de amanhã até sexta nas unidades da Unicarioca do Rio Comprido, Méier, Jacarepaguá e Bento Ribeiro.

- A Lamsa, que administra a Linha Amarela, recolhe até dia 1º, no posto montado na pista sentido Barra da Tijuca, doações de agasalhos, cobertores e roupas de frio para a campanha ‘Inverno Quente’, promovida pela ONG Viva Rio. 

- Em sete anos, o programa Sementes do Amanhã, do Instituto Masan, já ajudou a inserir no mercado de trabalho mais de 250 adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas.

Últimas de Economia