Campeão do Mundo no 'Jegue da Chapada'

Andrade relembra título do Flamengo, antes de assumir Jacobina da Bahia

Por O Dia

Rio - O dia 13 de dezembro é especialmente inesquecível para todo rubro-negro. Afinal, nesta data, há 33 anos, Zico, Júnior, Nunes, Adílio, Andrade & Cia levaram o Flamengo ao maior título da história do clube em 119 anos de existência: o Mundial Interclubes, com uma incontestável vitória sobre o Liverpool, campeão europeu e considerado o melhor time do planeta — rótulo desfeito em apenas 41 minutos de bola rolando no Estádio Nacional de Tóquio, onde Nunes (dois) e Adílio fizeram os gols dos inapeláveis 3 a 0 sobre os ingleses ainda no primeiro tempo (fora o baile na segunda etapa).

Andrade vai assumir o comando de clube da BahiaUanderson Fernandes / Agência O Dia

Orgulhoso, o então camisa 6 Andrade adora relembrar a façanha — uma das muitas daquela equipe quase imbatível —, mas não deixa de olhar adiante e traçar um futuro de novas conquistas. Hoje treinador, ele mira a busca de mais uma taça, agora de campeão baiano, pelo Jacobina Esporte Clube — se apresentará na segunda-feira para assinar contrato e definir a busca por reforços.

“A conquista do Interclubes pelo Flamengo é muito especial, marcante, inesquecível. Ainda me emociono ao falar sobre ela. A data será sempre lembrada com carinho, seja hoje ou daqui a 50 anos, pois colocou o Flamengo no cenário do futebol mundial diante de uma equipe considerada quase imbatível”, frisa Andrade, que comandou o Rubro-Negro na conquista do Campeonato Brasileiro de 2009, mas estava há cinco meses afastado dos gramados.</CW>

“Não via a hora de voltar ao batente. Saí do São João da Barra após a Série B do Carioca, em junho, e pude me reciclar nestes seis meses. É sempre bom voltar a trabalhar, principalmente fazendo o que se gosta”, diz Andrade, que também passou por Brasiliense, Paysandu e Boavista após ser eleito o melhor técnico do Brasileirão de 2009.

Comandar o Jacobina, também conhecido como ‘Jegue da Chapada’, é um desafio que motiva o ex-jogador. “O Jacobina voltou à Primeira Divisão do Campeonato Baiano depois de 20 anos de ausência, mas tem um projeto muito sólido. Quero fazer história no clube e, embora a dupla Bahia e Vitória seja favorita, brigar pelo título. Afinal, sonhar não custa nada. Vamos trabalhar forte para chegar lá”, promete. Palavra de campeão mundial.

Últimas de Esporte