Morre atleta que foi barrada da Olimpíada de Berlim-1936 por ser judia

Margaret Bergmann-Lamberts e mudou para os Estados Unidos e se tornou cidadã norte-americana pela mágoa sentida pelo país que nasceu

Por O Dia

Estados Unidos - Conhecida por ser a "grande esperança judaica" no esporte, Margaret Bergmann-Lambert morreu na última terça-feira em sua casa em Queens, Nova Iorque, aos 103 anos de idade. A ex-atleta, que era especialista na prova do salto em altura, foi impedida de competir nos Jogos Olímpicos de Berlim em 1936 por causa de sua origem.

Margaret Bergmann-Lambert morreu aos 103 anos%2C em Nova IorqueReprodução Youtube

Em junho de 1936, apenas um mês antes das Olimpíadas, Lambert participou de uma competição envolvendo os melhores saltadores da Alemanha e igualou um recorde alemão. Porém, duas semanas antes da maior competição esportiva do mundo, ela foi informada pelas autoridades esportivas que não havia sido incluída na equipe por falta de desempenho.

"Foi um choque terrível, porque eu era o melhor", disse a ex-atleta ao jornal 'Newsday' em 2015.

A melhor atleta alemã teve que assistir os Jogos Olímpicos da arquibancada. Após esse episódio, Lambert se mudou para os Estados Unidos e se tornou cidadã norte-americana pela mágoa sentida pelo país que nasceu.

Margaret Bergmann-Lambert  se aposentou em 1942 devido a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial. 

Últimas de Esporte