Elvis reconquista espaço no Botafogo

Após boa atuação diante do América-MG, meia quer se firmar no Fogão

Por O Dia

Rio - Elvis nunca teve a qualidade técnica questionada no Botafogo. O fato de não ter conseguido uma sequência de jogos como titular desde o início da temporada está muito mais relacionado a questões físicas e clínicas do que ao seu potencial. Recuperado de mais uma lesão, o meia espera, finalmente, se firmar como titular.

Na vitória sobre América-MG, ele entrou na segunda etapa e foi decisivo. Deu a assistência para Neilton marcar o gol da virada (2 a 1) e colocar o Alvinegro na vice-liderança da Série B do Campeonato Brasileiro. Uma clara demonstração de que pode dar a criatividade que muitas vezes faltou ao time.

Elvis teve boa atuação em Belo HorizonteDivulgação

“Meus dois melhores momentos no Botafogo foram interrompidos por lesões. A gente nunca quer se machucar, mas futebol é assim. Agradeço ao departamento médico pela recuperação que tive nas duas ocasiões. Agora, espero não ter mais lesões até o fim do ano para poder ajudar”, disse.

Ressurreição e confiança 

Elvis chegou desconhecido ao clube, no início do ano, e, depois de ter treinado algumas vezes como titular na pré-temporada, perdeu espaço com René Simões. O treinador não via uma entrega do meia nos treinamentos.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Botafogo

O tempo passou e a motivação voltou. O ex-técnico percebeu a evolução e passou a utilizar Elvis novamente. Mas as contusões impediram a sequência como titular.

Agora, sob o comando de Ricardo Gomes, Elvis ‘ressuscita’, coincidentemente, ao mesmo tempo que o Botafogo reencontra as vitórias. “Fazem essa brincadeira de ‘Elvis não morreu’ por conta do meu nome, mas eu não morri e estou bem vivo. Quero seguir trabalhando”, destacou o meia, confiante.

Prefeito de Niterói recebe projeto do Caio Martins

Na tarde de terça-feira, o presidente, Carlos Eduardo Pereira, se reuniu com o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, para apresentar o projeto de reforma do Caio Martins, que tem o intuito de deixar o estádio em condições de ser a casa do Botafogo no Carioca do ano que vem. O aval ou veto para o início das obras deve sair em 15 dias.

A prefeitura niteroiense pediu o prazo para ouvir a comunidade. Há grande preocupação com relação ao trânsito, que pode ser prejudicado com a realização de partidas com grande número de torcedores.

Outra questão levantada por Rodrigo Neves é a do estacionamento. O Botafogo pretende ter espaço para 500 vagas de baixo das arquibancadas, mas teria que encontrar outras soluções. A intenção do Alvinegro é aumentar a capacidade do estádio de 5 para 20 mil espectadores.