Felipão revela que Diego Costa seria convocado para a Copa do Mundo

Técnico da seleção brasileira admite que chegou a conversar duas vezes com o atacante do Atlético de Madrid, que acabou se naturalizando espanhol

Por O Dia

Rio - Diego Costa convive com a dúvida da presença na Copa do Mundo. Lesionado, o jogador terá que parar por 15 dias e pode acabar sendo baixa na lista espanhola. De outro lado, Luiz Felipe Scolari parece ter deixado de lado toda a questão extra-campo que protagonizou quando o atacante resolveu se naturalizar espanhol ao garantir que o atleta seria convocado para disputar o Mundial com a camisa canarinho. Em entrevista ao jornal Estado de São Paulo, o comandante da seleção brasileira rasgou elogios ao camisa 19 do Atlético de Madrid, que seria presença certa no ataque do Brasil.

Felipão admite que convocaria Diego CostaErnesto Carriço / Agência O Dia

"Eu ia convocá-lo para a Copa do Mundo. Estava errado? Não sei. Ele estaria na Copa com a Seleção Brasileira. Falei duas vezes com ele sobre isso. O problema é que tem outros interesses por trás de tudo. O Diego Costa conseguindo e sendo naturalizado espanhol, abre espaço na Europa. É tudo jogo de interesse. Não adianta. Tu tens de ficar refém de alguma coisa. E ele não quis. Eu tinha levado o Miranda uma vez, tinha levado Filipe. Depois tinha levado o Maxwell. Eles conversam entre eles (os três são do Atlético de Madrid)... Mas o Diego Costa estaria com a gente. Ele joga tanto com a 7, como com a 9, ou ainda com a 11. Pensava em colocá-lo lá na frente para correr, trombar. É um bicho, forte como um touro", contou.

Se Diego acabou ficando fora em razão de decisão pessoal em defender a Espanha, a ausência do companheiro Miranda já é de total responsabilidade de Felipão. O treinador admitiu que a única dúvida da lista de convocados era justamente na posição de quarto zagueiro. A batalha vencida por Henrique.

"Não tive dúvida na minha lista. Minha dúvida era o quarto zagueiro. Você tem de analisar o jogador por três, seis, oito meses numa temporada. Não havia muito mais o que fazer, não havia muita escolha diferente dessa que nós fizemos. E vai ver o que os jogadores convocados estão jogando? Eles estão com velocidade. E essa Copa do Mundo vai ser uma Copa de velocidade e muita correria", afirmou.

Com o pontapé inicial dado nesta segunda, a equipe foi recebida na Granja Comary com um ambiente repleto de manifestações. O caso, no entanto, não assusta o treinador: "Não respinga nada na seleção. Nada mesmo. Os jogadores não estão nem aí para isso, embora tenham se manifestado pelas redes sociais na Copa das Confederações ano passado. Eles vão ali para jogar bola".

Últimas de _legado_Copa do Mundo