Flamengo fica com um olho no Bolívar e outro na altitude

Rubro-Negro chega à Bolívia com preparação cuidadosa para o jogo de quarta-feira, em La Paz

Por O Dia

Rio - Enquanto os jovens do elenco reserva do Flamengo suavam a camisa no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, para empatar com o Bangu, no domingo, pelo Carioca — em um jogo que não valia quase nada —, o técnico Jayme de Almeida e o restante da equipe viajavam rumo à Bolívia, de olho no compromisso que efetivamente interessa esta semana: o difícil jogo contra o Bolívar, quarta-feira, pela Libertadores, em La Paz.

Classificado em primeiro lugar no Carioca e campeão antecipado da Taça Guanabara, o Flamengo vive situação complicada no Grupo 7 da competição continental. Vice-líder com quatro pontos, empatado com o mexicano León, o clube ainda precisará fazer dois jogos fora de casa — depois de pegar o Bolívar, enfrenta o Emelec (líder da chave, com seis pontos) no Equador. E lutará ainda contra um rival assustador na Bolívia: a altitude da capital La Paz (3.600m), para onde viajará apenas poucas horas antes do jogo de quarta.

Sem Elano, lesionado, Flamengo conta com o oportunismo do Brocador para vencer o BolívarUanderson Fernandes / Agência O Dia

Fora da altitude

Nesta segunda-feira, o Flamengo realiza o primeiro treino no Blooming, clube de Santa Cruz de la Sierra — cidade na qual a equipe brasileira ficará até a viagem a La Paz e que se localiza a apenas 416 metros do nível do mar. A comissão técnica preferiu permanecer longe da altitude para minimizar os efeitos sobre o desempenho dos jogadores, que retornam ao Rio logo após o confronto contra o Bolívar (lanterna do Grupo 7, com dois pontos). Até mesmo cilindros de oxigênio e alimentos ricos em carboidratos foram levados pela equipe médica para evitar quaisquer problemas.

No último treino antes da viagem, que atrasou mais de uma hora, Jayme escalou Carlos Eduardo no lugar de Elano, que, lesionado, não joga quarta-feira. O apoiador deve atuar entre os titulares contra o Bolívar. Outro desfalque é Cáceres, que provavelmente será substituído por Amaral.