Lâmpada incandescente não poderá ser mais fabricada

Modelo de 60W não será mais produzido, mas ainda pode ser vendido em lojas

Por O Dia

Rio - Está proibida a fabricação das lâmpadas incandescentes de 60W desde ontem, mas as lojas que ainda tiverem o produto em estoque podem vender até junho do próximo ano. A medida do governo fixou índices mínimos de eficiência luminosa e determinou as datas para, progressivamente, banir a luz “quente” do mercado até 2016.

Os modelos de lâmpadas incandescentes de 200W, 150W, 100W e 75W já deixaram de ser comercializadas e as últimas a deixarem o mercado serão as de 40W e 25W, de acordo com o Plano de Metas estabelecido na Portaria interministerial 1007 de 2010.

A ideia é substituir essas lâmpadas por modelos mais eficientes e econômicos, como as fluorescentes compactas e as lâmpadas LED. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Importadores de Produtos de Iluminação (Abilumi), Georges Blum, “ao longo de um ano, se somados os valores economizados com apenas uma lâmpada substituída, a economia pode chegar a R$25,00. Se trocar quatro lâmpadas, são R$ 100 economizados por ano”, calcula o presidente.

Últimas de _legado_Economia