Sequestro em uma agência de correios e ameaça terrorista assustam franceses

Eventos ocorreram no mesmo dia em que o secretário de Estado americano, John Kerry, visita o país para reuniões

Por O Dia

França - O país europeu vive dias de tensões e combate ao terrorismo. Nesta sexta-feira, a polícia francesa prendeu 12 homens que seriam suspeitos de colaborarem com Amedy Coulibaly, morto pelos agentes após manter reféns em um mercado judaico na periferia de Paris. Segundo a polícia local, as prisões foram efetuadas pois os suspeitos faziam "apoio logístico" aos atentados.

Sequestrador não tinha ligações com terroristasReuters


As detenções foram efetuadas nos subúrbios do centro e sul de Paris, incluindo a área de Montrouge, onde uma jovem policial foi morta vítima de um ataque. Também na sexta-feira, um alerta de atentado terrorista fechou a estação ferroviária de Paris Gare del’Est por volta das 8h no horário local (5h no horário de Brasília), mas foi reaberta cerca de uma hora depois.

Também nesta sexta-feira, um indivíduo armado invadiu uma agência de correios de Colombes, próximo de Paris, às 13h no horário local (9h em Brasília) e tinha feito, ao menos, duas pessoas reféns. Mas este caso, de acordo com o canal de notícias BFM TV, tratava-se de um homem desequilibrado que havia acabado de sair de um relacionamento amoroso.

Suspeito é detido por membros das forças especiais francesasReuters


Ainda segundo o canal de notícias francês, apesar do homem já ser conhecido pela polícia por atos de "pequena criminalidade", este não tem ligações com grupos terroristas e se entregou à polícia sem que os agentes invadissem o local. Ao todo, 17 pessoas e os três autores dos ataques morreram desde o atentado à revista Charlie Hebdo.

John Kerry se encontra com François Hollande em Paris

Em meio às turbulências na segurança, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, realizou um encontro com o presidente da França, François Hollande, na manhã de sexta-feira, no pátio do Palácio do Eliseu, residência oficial do chefe de Estado francês, para fazer reuniões e prestar homenagens às vítimas dos massacres.

O secretário de estado norte-americano%2C John Kerry%2C fez uma visita diplomática à FrançaReuters

“Acho que você sabe que conta com as condolências integrais e sinceras do povo norte-americano e eu sei que você sabe que compartilhamos a dor e o horror de tudo pelo que vocês estão passando”, disse Kerry à Hollande, que disse que os ataques a Paris foram o 11 de setembro francês, em referência aos ataques contra as torres gêmeas no dia 11 de setembro de 2001 em Nova York.

“Juntos precisamos encontrar as respostas certas e esse é o propósito de nosso encontro aqui hoje, para além da amizade”, completou o secretário de Estado norte-americano, que prestou homenagem em um memorial às vítimas do atentado à revista Charlie Hebdo.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência