TJ marca julgamento de acusados de matar a juíza Patrícia Acioli

Magistrada foi assassinada com 21 tiros em frente à casa onde morava no bairro de Piratininga, em Niterói

Por O Dia

Rio - O juízo da 3ª Vara Criminal da Comarca de Niterói, do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), marcou para o próximo dia 6 de dezembro, às 8h, o julgamento de Daniel Santos Benitez Lopez, acusado de ter participado da execução da juíza Patrícia Acioli em agosto de 2011, no bairro de Piratininga, em Niterói.

Para designar a data da audiência, foi considerada a decisão da 3ª Câmara Criminal do TJRJ, que, por maioria dos votos, negou o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa de Daniel. O acusado responde pelos crimes de homicídio e formação de quadrilha.

Também foram marcados os julgamentos dos acusados Claudio Luiz Silva de Oliveira, ex-comandante do 7º BPM (São Gonçalo), para 20 de março de 2014, e Charles Azevedo Tavares, Alex Ribeiro Pereira, Sammy dos Santos Quintanilha e Handerson Lentz Henriques da Silva, para o dia 3 de abril de 2014.

Relembre o caso

Na época do crime, a juíza Patrícia Lourival Acioli era titular da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio. A magistrada, que foi assassinada na porta de casa, em Niterói, atuou em diversos processos em que os réus eram policiais militares envolvidos em supostos autos de resistência.

Cinco policiais militares já foram condenados pelo assassinato da juíza. Carlos Adílio Maciel dos Santos foi sentenciado a 19 anos e seis meses de reclusão; Jefferson de Araujo Miranda recebeu pena de 26 anos de reclusão; Jovanis Falcão foi condenado a 25 anos e seis meses de reclusão; Junior Cezar de Medeiros foi sentenciado a 22 anos e seis meses de reclusão; e Sérgio Costa Júnior foi condenado a 21 anos de prisão.

Últimas de Rio De Janeiro