MP denuncia filho de Pitanguy por homicídio culposo

Entendimento do Ministério Público difere da Polícia Civil, que indiciou empresário por homicídio doloso (com intenção de matar)

Por O Dia

Rio - Um dia depois de a Polícia Civil indiciar Ivo Nascimento de Campos Pitanguy por homicídio doloso (quando há intenção de matar), o Ministério Público do Rio (MP-RJ) ofereceu denúncia à 40ª Vara Criminal contra o empresário por homicídio culposo (sem intenção). Filho do famoso cirurgião plástico Ivo Pitanguy, Ivinho — como é conhecido — atropelou e matou o operário José Fernando Ferreira da Silva na madrugada de sexta-feira(21). Ele responderá pela denúncia do MP. 

Polícia Civil indicia filho de Pitanguy por homicídio doloso

Diferente do entendimento da delegada titular da 14ª DP (Leblon), Monique Vidal — que acredita que ele assumiu o risco de matar alguém ao dirigir embriagado —, o MP acredita que o empresário não assumiu o risco da morte. 

Ainda segundo a denúncia do MP, a lei prevê penas mais rígidas quando "o homicídio culposo praticado na direção de veículo automotor ocorrer em faixa de pedestres ou na calçada e quando o motorista deixa de prestar socorro à vítima". Foi o que ocorreu com o empresário. 

Segundo testemunhas, empresário estava alcoolizado

Segundo a delegada Monique Vidal, que inicialmente afirmou que Ivo responderia por homicídio culposo, o depoimento de mais testemunhas foi decisivo para o entendimento do dolo (a itnenção de matar). Segundo as testemunhas, o empresário conduziu o veículo embriagado. 

Além disso, Ivo recebeu 70 multas nos últimos cinco anos. Desse total, 14 foram por dirigir embriagado. Com esse número, ele deveria ter tido o documento apreendido: com 20 pontos na carteira, o motorista já perde o direito de dirigir.

Após a divulgação das infrações, o Detran suspendeu a carteira de habilitação de Ivo. Segundo o órgão, ele atingiu o limite de 20 pontos no prontuário de infrações de trânsito entre 2014 e 2015. Em um período de 12 meses, ele somou 27 pontos até o dia 21 de junho deste ano.

Além disso, o órgão afirmou que diante "da gravidade do acidente, será aberto também um processo administrativo para que o condutor seja submetido novamente a novo exame prático para averiguar a sua capacidade de direção de automóveis".

Últimas de Rio De Janeiro