Nova Iguaçu ganha novo sistema de ônibus em maio

Empresas usarão tecnologias de pontas nos coletivos

Por O Dia

Rio - Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, abre no dia 18 de maio, os envelopes da primeira licitação pública da história da cidade para operar todas as 83 linhas de ônibus responsáveis pelo transporte coletivo de cerca de 4 milhões de passageiros por mês. Através de concorrência pública, as empresas de ônibus da cidade passam de permissionárias a concessionárias com utilização de tecnologias de ponta nos coletivos organizando a atuação de cada uma delas por região da cidade. Os novos consórcios terão o prazo de seis meses a um ano para implantar as mudanças exigidas pelo edital de licitação.

Para o prefeito da cidade, Nelson Bornier, o transporte coletivo é um serviço essencial para a cidade. Segundo ele, desenvolve papel social e econômico de grande importância, já que democratiza a mobilidade na medida em que facilita a locomoção das pessoas que não possuem automóvel.

O novo Plano de Concessão dos Serviços Públicos de Transporte Coletivo de Nova Iguaçu divide a cidade em dois lotes – Norte (1) e Sul (2) -, com cinco novos terminais – Miguel Couto, Santa Rita, Austin, Cabuçu e Praça Santos Dumont, que serão construídos pelos próprios consórcios.

O Lote 1, que engloba bairros localizadas ao lado direito da rede ferroviária, como Cerâmica, Austin, Miguel Couto, Vila de Cava e Tinguá, entre outras regiões, com cerca de 2,3 milhões de passageiros por mês, vai ocupar uma frota de 269 ônibus operando em 41 linhas.

Já o Lote 2, que abrange o Centro da cidade e K-11, além de regiões localizadas ao longo do corredor viário da Avenida Abílio Augusto Távora (antiga Estrada de Madureira), como Bairro da Luz, Jardim Alvorada, Valverde, Cabuçu e km 32, por exemplo, vai dispor de uma frota de 185 carros convencionais, micros e micrões, atendendo a 42 linhas e uma demanda de cerca de 1,6 milhão de usuários por mês.

O secretário municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana de Nova Iguaçu, Rubens Borborema, disse nesta última terça-feira (14) que no prazo de seis meses a um ano, os consórcios vencedores vão estudar “e fazer de tudo” para viabilizar a criação também de BRS ou BRT na cidade. “Na verdade, a implantação desses sistemas de trânsito inteligente será uma consequência natural da otimização da frota e do sistema como um todo”, explicou.

Novidade para frota

Segundo o secretário, os contratos para a exploração do transporte coletivo na cidade serão melhor elaborados, de modo a não permitir mais irregularidades verificadas atualmente, como atrasos das viagens e falta de elevadores nos coletivos para mobilidade de deficientes, entre outras exigências.

Entre seis meses e um ano, a frota de 454 ônibus ganhará nova identificação visual, que estará articulada com os pontos de embarque. Terá ainda de tecnologia embarcada, incluindo câmeras e GPS, garantindo mais segurança e a otimização do monitoramento da frota.

Últimas de _legado_O Dia no Estado