Polícia apreende menor suspeito de matar enfermeira na Pavuna

Marilayne da Silva Coutinho Zaudanone foi morta na frente da filha de 3 anos numa tentativa de assalto

Por O Dia

Marilayne da Silva Coutinho Zaudanone morreu em tentativa de assalto, na PavunaReprodução

Rio - Agentes da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital apreenderam na noite desta segunda-feira um menor acusado de ser o autor da morte de Marilayne da Silva Coutinho Zaudanone. A enfermeira de 30 anos foi baleada no início da noite de domingo, na Pavuna, durante uma tentativa de assalto. O adolescente, de 16 anos, será autuado por ato infracional análogo à latrocínio e formação de quadrilha.

"A testemunha (marido da vítima) reconheceu esse menor como sendo um dos indivíduos que compunha o grupo que praticou esse latrocínio e que atirou contra o carro ele dirigia e acabou matando a Marilayne. O menor foi ouvido na DH e confessou que participava desse grupo que praticou esse roubo que acabou matando a Marilayne", disse o delegado Fábio Cardoso, ao Bom Dia Rio.

O crime aconteceu quando Marilayne, o marido e a filha de 3 anos passavam pela Rua Embaú, na comunidade Parque Colúmbia, e seguiam em direção à Via Dutra quando o carro em que viajavam foi fechado por outros dois veículos ocupados bandidos armados. 

"Essa investigação não terminou. Foi apenas o primeiro indivíduo que identificamos e está apreendido. A investigação vai prosseguir para a gente identificar mais elementos que compunham esse grupo que roubaram e vitimaram a Marilayne", afirma o delegado.

O marido ainda tentou salvar a vida de Marilayne, levando-a para um posto médico próximo. A enfermeira, no entanto, não resistiu e chegou morta ao local. O sepultamento está marcado para esta terça-feira, às 13h, no Cemitério de Irajá.

Protesto fecha a Dutra

A morte de Marilayne deixou revoltados os moradores da região. Em protesto, um grupo fechou a pista sentido Rio da Via Dutra, na altura do quilômetro 165, por volta das 21h. A manifestação assustou alguns motoristas, que retornaram na contramão para evitar o local.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a via só foi totalmente liberada às 23h. Durante o protesto, os motoristas tiveram que seguir para a Linha Vermelha.

LEIA MAIS: Mulher é morta em tentativa de assalto na frente da filha e do marido

Últimas de Rio De Janeiro