Pezão diz que Rio quer antecipar receitas de petróleo novamente

Medida seria adotada sem aval do governo federal. Após encontro com o ministro da Fazenda, governador disse que negociações 'estão avançando'

Por O Dia

Rio - O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), disse que está discutindo com a União uma forma, do ponto de vista jurídico, de fazer a operação de securitização de royalties de petróleo sem o aval do governo federal, que não pode ser dado ao Estado por causa dos altos níveis de endividamento. A operação de securitização garante antecipar o recebimento de receitas que um governo pretende arrecadar no futuro. O governo do Rio já adotou a medida em 2012. 

"A União não pode hoje dar aval aos Estados, precisamos ver de que forma podemos fazer essa operação de royalties sem o aval do Tesouro", afirmou. "Ajuda muito quando tem (o aval), mas também podemos fazer sem", disse.

Pezão quer que Rio faça operação de royalties sem o aval do TesouroEstefan Radovicz / Agência O Dia

Pezão se encontrou nesta quarta-feira com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Na saída, disse que a reunião foi boa e que estão avançando na discussão sobre a crise financeira do Estado. Nesta quinta-feira, 24, outra missão do Tesouro Nacional estará no Rio de Janeiro. "A situação do Rio é diferenciada, acompanhada do Rio Grande do Sul, com o estado de calamidade", afirmou.

O governador do Rio disse que, apesar disso, o Estado não quer tratamento diferenciado e apresentou medidas para cobrir o déficit, como a securitização dos royalties de petróleo e da dívida ativa.

Ele disse que não é possível prever se o Estado receberá recursos dessas ações neste ano. Segundo o governador, os Estados aderiram às exigências feitas pelo governo federal ontem não para receber o dinheiro da multa da repatriação, mas pela gravidade dos problemas. "Hoje os 27 Estados têm problemas, principalmente na Previdência", afirmou Pezão.

Últimas de Rio De Janeiro