Matéria Salva!

Agora você pode ler esta notícia off-line

Matéria removida da seção links salvos
Amazon avança no setor governamental
Publicidade

Amazon avança no setor governamental

Braço de infraestrutura tecnológica da empresa americana atende 1.500 órgãos públicos

Pedro Valentim

[email protected]
Busc,0,0,0-2.85,1.09,4.22,4.22,0,0,0-1,3,4.31,4.31,0,0,0,1,3.07,3.77,3.77,0,0,0,2.9,1.05,8.61,8.61,0,0,0,2-.24V21.25H64.11Z"/>
Por monica.lima

São Paulo - Criada em 2006, quando a computação em nuvem ainda engatinhava no mercado, a Amazon Web Services (AWS) — braço de oferta de infraestrutura de tecnologia da gigante varejista — é hoje um dos maiores ícones desse modelo, com uma receita global de US$ 5 bilhões. Apoiada pelo sucesso de diversas empresas novatas, que usaram seus serviços para rapidamente ganhar escala e faturar cifras bilionárias, a operação vem ajudando a derrubar barreiras e a disseminar o conceito para empresas de maior porte, de indústrias variadas. E nessa jornada, sob a mesma inspiração e espírito das start-ups, a adoção da nuvem nas esferas do setor público é uma das mais recentes fronteiras de investimento da AWS.

“Somos como uma empresa novata dentro de uma start-up”, diz Teresa Carlson, vice-presidente global da AWS para o Setor Público, citando números da divisão, que hoje atende a 1,5 mil órgãos governamentais, 3,6 mil instituições de ensino e mais de 11 mil organizações sem fins lucrativos, dentro de uma base total de mais de um milhão de clientes da AWS. “Nesse universo, esses números podem não soar tão grandes, mas estamos apenas começando. Há dois anos, tínhamos somente 300 clientes nesse mercado”, afirma. A base global de clientes da divisão inclui a CIA, a ONU, a Nasa e o Unicef.

Segundo Teresa, os fatores que começaram a despertar o interesse desse segmento pela computação em nuvem foram os baixos orçamentos para tocar projetos e as limitações impostas pelo modelo tradicional de aquisição de tecnologia. “Esses clientes tinham longos ciclos de compra, muita regulação, e se viam obrigados a adquirir um pacote completo de ferramentas que não tinham serventia para os seus projetos”, explica a executiva.

No caminho para apresentar a nuvem como uma alternativa, a AWS vem investindo em diversas frentes. Para atender aos altos requisitos de segurança

Publicidade

Amazon avança no setor governamental

Braço de infraestrutura tecnológica da empresa americana atende 1.500 órgãos públicos

Por monica.lima

São Paulo - Criada em 2006, quando a computação em nuvem ainda engatinhava no mercado, a Amazon Web Services (AWS) — braço de oferta de infraestrutura de tecnologia da gigante varejista — é hoje um dos maiores ícones desse modelo, com uma receita global de US$ 5 bilhões. Apoiada pelo sucesso de diversas empresas novatas, que usaram seus serviços para rapidamente ganhar escala e faturar cifras bilionárias, a operação vem ajudando a derrubar barreiras e a disseminar o conceito para empresas de maior porte, de indústrias variadas. E nessa jornada, sob a mesma inspiração e espírito das start-ups, a adoção da nuvem nas esferas do setor público é uma das mais recentes fronteiras de investimento da AWS.

“Somos como uma empresa novata dentro de uma start-up”, diz Teresa Carlson, vice-presidente global da AWS para o Setor Público, citando números da divisão, que hoje atende a 1,5 mil órgãos governamentais, 3,6 mil instituições de ensino e mais de 11 mil organizações sem fins lucrativos, dentro de uma base total de mais de um milhão de clientes da AWS. “Nesse universo, esses números podem não soar tão grandes, mas estamos apenas começando. Há dois anos, tínhamos somente 300 clientes nesse mercado”, afirma. A base global de clientes da divisão inclui a CIA, a ONU, a Nasa e o Unicef.

Segundo Teresa, os fatores que começaram a despertar o interesse desse segmento pela computação em nuvem foram os baixos orçamentos para tocar projetos e as limitações impostas pelo modelo tradicional de aquisição de tecnologia. “Esses clientes tinham longos ciclos de compra, muita regulação, e se viam obrigados a adquirir um pacote completo de ferramentas que não tinham serventia para os seus projetos”, explica a executiva.

No caminho para apresentar a nuvem como uma alternativa, a AWS vem investindo em diversas frentes. Para atender aos altos requisitos de segurança

Publicidade
escolha do editor
Publicidade
mais notícias