Esplanada: João Dória vai lançar Movimento Brasil com respaldo do PSDB

Ele foi motivado pelo deputado Otávio Leite a criar um movimento para chamar a sociedade a debater o futuro político-social-econômico do Brasil

Por O Dia

Brasília - João Dória Jr, prefeito de São Paulo, vai lançar o Movimento Brasil com respaldo da bancada tucana no Congresso Nacional. Na reunião de três horas que teve com os deputados e senadores do PSDB na última quarta-feira, ele foi motivado pelo deputado federal Otávio Leite a criar um movimento para chamar a sociedade, hoje desacreditada, a debater o futuro político-social-econômico do Brasil.

Dória topou e deu o nome do movimento de pronto. Com uma agenda nacional de visitas, palestras, debates, isso poderá catapultá-lo ao cenário nacional, senão em 2018, com certeza para 2022.

Bater das Asas

O retorno de Aécio Neves ao Senado e à presidência do PSDB, livre do fantasma da prisão, por ora, não ofuscará Dória Jr, tido como nova estrela do PSDB.

Pop star

O PGR Rodrigo Janot ofuscou anfitriões de uma festa na Embaixada dos Estados Unidos na quinta à noite em Brasília. Desfilou como rei, e atendeu a pedidos de selfies.

Mixaria em vão

60 pessoas foram escaladas pela Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil ao preço de R$ 50, cada, para protesto em frente à CCJ, na análise da reforma Trabalhista.

Paralisia oficial

Acuado pela denúncia do PGR Rodrigo Janot e à espera de outras do mesmo remetente, o presidente Temer estancou, por ora, as discussões com ministros sobre o programa de investimentos, aos moldes do PAC petista, batizado de “Avançar”.

Freio de mão

Antes da crise JBS, o plano do Governo era investir mais R$ 56 bilhões até o fim de 2018. Estava prevista para essa semana o fechamento da versão final do programa, mas a denúncia de Janot paralisou a agenda no Planalto.

Pai & filho

O PSB fala grosso em rádios e TVs que é oposição e a favor do impeachment do presidente Temer, mas o ministro de Minas e Energia filiado ao partido, Fernando Bezerra filho, continua no cargo (da cota pessoal de Temer). E os socialistas não falam em expulsão do ministro da legenda – nem do pai, senador e padrinho.

Novo PRONA?

Dois grupos brigam na Justiça para usar o nome PRONA, criado por Enéas, que era contrário à refundação. “PRONA nasceu comigo e morrerá comigo”, dizia o saudoso.

Olha quem volta

Renan Calheiros lidera pesquisas em Alagoas para uma das duas vagas ao Senado na eleição do ano que vem.

Jucá x Renan

Renan Calheiros decidiu se antecipar na renúncia à liderança do PMDB no Senado, para não se humilhar. Mas Romero Jucá, a mando do Palácio, àquele momento só tinha conquistado 9 dos 22 senadores da bancada contra o ex-líder.

Xadrez tucano

Depois de o Solidariedade destituir o deputado Major Olímpio (SD-SP) da cadeira na CCJ, o PSDB promoverá substituições no colegiado para ampliar os votos contrários à denúncia do PGR Janot contra o presidente Temer. A ideia é derrubar a denúncia já na CCJ, e evitar que chegue ao plenário da Câmara.

Quatro em jogo

Os sete titulares - Betinho Gomes (PE), Elizeu Dionizio (MS) Fabio Souza (GO), Jutahy Junior (BA), Paulo Abi-Ackel (MG), Rocha (AC) e Silvio Torres (SP) – tendem a votar pela aceitação da denúncia. Pelo menos quatro deputados devem ser substituídos por suplentes obedientes ao líder Ricardo Tripoli (PSDB-SP), mais próximo do Palácio.

Atropelo

O Projeto de Lei 478/07, o Estatuto do Nascituro, de autoria dos ex-deputados Miguel Martini (in memoriam) e Luis Bassuma, que avançava na CCJ, sofreu um revés. O PSOL pediu para o PL ser apreciado também na Comissão da Mulher na Câmara.

Maquete do crime

O Movimento em Defesa do Mercado Legal expõe na Assembleia Legislativa de SP uma maquete chamada Cidade do Contrabando, feita com produtos contrabandeados. O cigarro é o campeão de contrabando, com sonegação que chega a R$ 2,68 bilhões.

Ponto Final

Aécio Neves comemorou a volta ao Senado dizendo que sempre acreditou na Justiça. A decisão foi monocrática de Marco Aurélio, um dos cinco ministros da Turma que ainda julgará seu pedido de prisão, em agosto. E a Justiça vai além de um ministro ou um plenário; é um conjunto de leis na Constituição – e suas interpretações.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil