Escolas voltam para Sapucaí no Desfile das Campeãs na noite deste sábado

As seis primeiras colocadas entre as escolas de samba do Grupo Especial voltam ao Sambódromo, a partir das 22h

Por O Dia

Rio - As seis primeiras colocadas entre as escolas de samba do carnaval carioca voltam na noite deste sábado ao Sambódromo para o tradicional desfile das campeãs, a partir das 22h. A apresentação será regressiva, começando pela Beija-Flor, na sexta colocação, seguida da Acadêmicos do Grande Rio, Mangueira, do Salgueiro e da vice-campeã Mocidade Independente de Padre Miguel.

Depois de um jejum de 33 anos, a grande campeã, a Portela, entra na avenida por voltas das 3h de domingo e trará integrantes da Império Serrano, escola vencedora da Série A. As duas agremiações, do bairro de Madureira, na zona norte do Rio de Janeiro, são rivais históricas.

Portela voltou a vencer um carnaval sozinha após 33 anosMaíra Coelho / Agência O Dia

Com transmissão da TV Brasil, a partir das 21h30, o Desfile das Campeãs também deve contar com a presença do portelense Paulinho da Viola, esperado na ala da diretoria da escola. Na última segunda-feira, quando a Azul e Branco apresentou seu enredo inspirado na canção dele Foi um Rio que Passou em Minha Vida, Paulinho não estava no Rio e não participou do desfile.

Última escola a desfilar, a Portela volta à avenida com enredo que representa a relação entre os rios e a humanidade. Não faltarão carros esguichando água, animais retratados em tamanho real, como jacarés, e lendas amazônicas, como a da Iara e do boto-cor-de-rosa. A escola também lembra a tragédia do Rio Doce, que, em 2015, recebeu uma avalanche de rejeitos de mineração de uma barragem. Em uma alegoria, pescadores são retratados aos prantos, pedindo justiça.

Na outra ponta, no início dos desfiles, a Beija-Flor entra com sua interpretação para o clássico de José de Alencar, Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel. O livro é recontado em alegorias e alas que chamam a atenção para a raiz indígena do povo brasileiro.

Beija-Flor contou a história de IracemaFoto%3A Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

Logo depois, no Sambódromo, por volta das 23h, a Grande Rio retorna com a homenagem à Ivete Sangalo e com um desfile com vários famosos. A cantora baiana, que também prometeu estar de volta, integra, inclusive, uma elaborada comissão de frente que troca de roupa no desfile.

Campeã do carnaval 2016, a Mangueira é esperada para pouco depois da meia-noite. A escola traz os santos que marcam a fé brasileira, católicos ou de matriz africana. A bateria da escola, toda vestida de São Francisco de Assis, foi um dos destaques do carnaval.

Já o Salgueiro, que ficou no terceiro lugar este ano, retorna com a releitura para um clássico da literatura mundial, a Divina Comédia. Como no livro do espanhol Dante Alighieri, a escola faz um percurso pelo inferno, o purgatório e o céu.

Vice-campeã do carnaval, a Mocidade Independente de Padre Miguel levanta a plateia depois das 2h, com o enredo As Mil e uma Noites de uma Mocidade pra lá de Marrakesh. A escola levantou o público com um Aladin voando em um tapete mágico, na comissão de frente. Ao retratar hábitos e religião, a escola também fala da imigração árabe para o Brasil.

A escola de Padre Miguel fez uma apresentação quase sem erros e foi a vice-campeãMárcio Mercante / Agência O Dia