Segurado que recebe auxílio-doença por mais de 2 anos será alvo de fiscalização

Pente-fino será feito por meio do monitoramento das redes sociais

Por O Dia

Brasília - O INSS vai monitorar as redes sociais de trabalhadores que recebem auxílio-doença por mais de dois anos e aposentados por invalidez. Além de convocar para nova perícia, o pente-fino também servirá para avaliar a se o segurado está em condição de voltar ao trabalho. A revisão, programada para começar a partir deste mês — o INSS enviará carta para casa dos segurados —, vai inspecionar também as informações divulgadas pelos segurados em redes sociais, como é o caso do Facebook.

Quem se enquadra na lei e recebe, legalmente, o auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez, não tem motivo para preocupação. Mas, quem recebe auxílio-doença, está saudável, leva uma vida normal, sem atropelos com problemas de saúde, pode se preparar. A suspensão do benefício será inevitável.

Central de monitoramento do INSS%3A as redes sociais serão alvo de análise da Previdência SocialDivulgação

Nas redes sociais, há muitas imagens e informações de pessoas que fazem questão de expor os momentos em família, no lazer e na descontração. Com essa exposição, estão lá as informações que o INSS precisa para constatar que muitos dos segurados que recebem benefícios estão bem, devem voltar ao trabalho e não podem continuar a receber o auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez.

Exames e laudos

A revisão dos benefícios ocorrerá em todo país, inclusive nos casos em que o benefício foi concedido por decisão judicial. Ao ser convocado, o segurado terá que levar exames e laudos médicos (rede pública, particular ou de peritos do próprio INSS) para comprovar o problema de saúde. Pessoas com problemas de locomoção não precisarão comparecer aos postos.

De acordo com o governo, os mais jovens serão os primeiros a serem chamados para comparecer a um posto, com data e horário previamente marcados para a realização da perícia médica. Ao todo, serão 532 mil segurados que farão nova perícia.

A data limite para publicação da instrução normativa que detalhará como será feito o pente-fino é na segunda-feira. Os ministérios (Fazenda, Planejamento e Desenvolvimento Social) informaram que a portaria conjunta será publicada nos próximos dias.

Consulta a partir do dia 20

Os contracheques com os valores da primeira parcela do adiantamento do décimo terceiro de mais de 30 milhões de aposentados e pensionistas do INSS estarão liberados para consulta no site da Previdência dia 20 deste mês. O crédito da primeira parte da gratificação vai começar a ser feito no próximo dia 25 junto com o benefício de agosto. Este valor vai aparecer no extrato de pagamentos do benefício do mês.

Nos primeiros dias, conseguirá saber o valor exato a ser pago quem recebe benefício igual a um salário mínimo e tem o depósito nos primeiros dias do calendário de pagamentos. No dia 25, a consulta estará liberada para todos os beneficiários. O pagamento termina no dia 8 de setembro. Só no Estado do Rio são 3,3 milhões de segurados com direito ao 13º.

A segunda parcela será paga com descontos do Imposto de Renda (IR), no caso de valores que estejam nas faixas de cobrança. Para conferir o valor não é preciso se cadastrar na página, basta digitar o número do benefício.

Veja o calendárioArte O Dia

O pagamento começará a ser depositado, seguindo o calendário dos benefícios previdenciários do mês de agosto (Confira a tabela ao lado), para os segurados que recebem até um salário mínimo e possuem cartão com final 1.

Quem ganha acima do piso começar a receber a partir do dia 1º de setembro. Os depósitos para as duas faixas de benefício serão creditadas em conta até o dia 8 de setembro.  A segunda parte do abono será creditada na folha de novembro com os descontos legais.

Como ver o contracheque

Para saber quanto vai receber de 13º basta acessar o site www.previdencia.gov.br . Nele, o segurado deve clicar no ícone ‘Extrato de pagamento de benefício’, à esquerda, no canto superior da página. Será aberta uma nova página, onde o aposentado clicará em ‘Emitir extrato’.

Em seguida, é preciso preencher os campos com número do benefício, data de nascimento, nome do beneficiário, CPF. Por último, deve digitar o código de segurança gerado na na página para finalmente imprimir contracheque.

Os segurados que recebem benefícios assistenciais (Loas) não têm direito ao 13º salário, o que corresponde a cerca de 4,380 milhões de benefícios, segundo o INSS.

Se o segurado recebe o benefício desde janeiro deste ano ou antes, o 13º será a metade do valor.

Últimas de Economia