Hulk revela que sofre racismo em 70% dos jogos fora de casa na Rússia

Brasileiro foi vítima novamente neste domingo e respondeu as ofensas com um sorriso no rosto

Por O Dia

Rússia - O brasileiro Hulk, que atualmente atua no Zenit, da Rússia, foi mais uma vez vítima de racismo no último domingo, quando seu time empatou por 1 a 1 com o Toperdo em Moscou. O jogador relatou que ouviu sons imitando macacos vindo das arquibancadas e, mesmo com as ofensas,  reagiu de maneira diferente a provocação, fazendo gestos como se estivesse tentando ouvir mais alto, com um sorriso no rosto.

"O que você pode fazer num momento como esse? Preferi reagir com um sorriso. Estou tratando os torcedores com respeito e quem sabe podem começar a me tratar igual", afirmou Hulk.

Hulk é vítima de racismo mais uma vez na RússiaReuters

O craque do Zenit ainda ressaltou que não foi a primeira vez que passou por isso na país: "Acho que 70% dos jogos que fiz fora de São Petersburgo teve este tipo comportamento contra mim. Só posso lamentar que isso continue acontecendo. Gostaria que todas as partes envolvidas no futebol pudessem se respeitar. O futebol é para unir as pessoas, e não para dividi-las de acordo com seus conceitos pessoais". 

O Zenit lidera o Campeonato Russo com 45 pontos. Após o episódio, o brasileiro garantiu que seu foco está totalmente na busca pelo título: "Estou focado no meu trablho e no jogo do Zenit. Nosso objetivo é ganhar o campeonato".


Últimas de Esporte