A torcida do Fla no limite da paciência

Sem nenhum reforço para o Brasileirão e atuações fracas na temporada, a Nação já começa a se irritar com o time

Por O Dia

Rio - A grande torcida do Flamengo não costuma ter paciência com os vacilos do time ou quando pressente que falta a garra típica. Este ano, a galera está até muito calma depois do que aconteceu no Carioca com a grotesca perda da Taça GB e atuações muito ruins contra o Vasco nas semifinais.Por isso o jogo de hoje, contra o Sport, pode marcar a possível recuperação após a derrota para o São Paulo.

O Maracanã deverá receber bom público, cuja reação pode variar de apoio total para a vaia exagerada, pois há clima de cobrança e apreensão. Se a diretoria faz belo trabalho no saneamento financeiro, a falta de grandes reforços incomoda e até Zico fez o seu apelo.

Sem nenhum reforço e atuações fracas na temporada%2C a paciência da torcida Rubro-Negra está no limiteCarlos Moraes

Todos esperam um nome que pode ser Diego. Mas até que ele venha,o Fla é esse mesmo, com defesa irregular, meio campo dependente de Everton e ataque indefinido — terá hoje a volta de Alecsandro, um goleador. O Sport não é uma moleza, é bem composto e vai jogar no erro do adversário. O Fla tem urgência de se reencontrar com a vitória.

SEM SONO

O Vasco joga hoje, contra o Figueirense, em horário fora dos seus hábitos — 11h. E espera que os seus jogadores não sintam essa diferença de horário e se preparem para correr muito, pois, nos dois últimos jogos depois do título carioca, o time deu a impressão de sono e acomodação como se não tivesse maior importância a classificação na Copa do Brasil e a estreia no Brasileiro. Doriva até já avisou o grupo para religar o botão no modo ‘alerta’. Só assim voltará a confiança ao Vasco.

CHANCE DO FLU

O Fluminense tem alguns trunfos no difícil duelo contra um adversário superior e que vem de duas ótimas partidas contra o Inter: joga em campo neutro, com apoio de grande torcida, enfrenta adversário abalado pela eliminação da Libertador e conta com a estreia de dois jogadores — Antônio Carlos, para dar experiência à zaga, e Magno Alves , que vai tentar emplacar dupla com Fred. São nomes de simpatia e história no clube, mas cuidado: o Galo é um dos melhores times do Brasil.

VERGONHA

Dirigentes e jornalistas argentinos falaram de vergonha para explicar o tumulto que houve no Boca x River. É a palavra exata. Nunca se viu em competição de alto nível a torcida agredir jogador com gás de pimenta, ato de selvageria e crueldade. O Boca não providenciou a segurança necessária, foi omisso e merece punição, com eliminação da Libertadores e interdição da Bombonera. Um vexame do futebol da América Latina dentro e fora de campo, que nos humilha na comparação com a Europa.

O INTER NO TOPO

Após recentes resultados e decepções com favoritos, o Inter surge como esperança na Libertadores, embora tenha, nas quartas, parada dura contra o Santa Fé. O Corinthians foi um fiasco, Boca e River, primeiro e último na fase de grupos, jogaram mal. Sobram Cruzeiro, inferior ao time bi brasileiro, e Tigres, que mostra mais empenho do que técnica. O Inter traz a novidade de um técnico diferente, Diego Aguirre, e bons estrangeiros, como Aránguiz, D’Alessandro e Lisandro López.

MAURÍCIO ASSUMPÇÃO DEVE EXPLICAÇÕES AO PÚBLICO

O ex-presidente do Botafogo Maurício Assumpção, que fez ótimo primeiro mandato e péssimo segundo, deve prestar esclarecimentos sobre sua gestão. Há denúncias em relação a empréstimos e contratos de publicidade. Maurício não pode ficar na retranca dizendo que é tudo intriga da oposição.Se não fez nada errado, além de detonar os principais jogadores e afundar o time na Série B, precisa provar sua inocência. Caso contrário, ficará com a imagem manchada.

Últimas de Esporte