Em 2050, idosos serão um quinto da população mundial

No Brasil, a expectativa de vida de um bebê que nasce hoje é de 75 anos

Por O Dia

Brasília - Relatório divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o número de pessoas com mais de 60 anos será duas vezes maior em 2050 . Dados da OMS contabilizam hoje cerca de 900 milhões de idosos, ou seja, 12,3% da população total. A expectativa é de que em 2050, esta fatia represente 21,5%, mais de um quinto do planeta — dois bilhões.

Segundo a OMS, a expectativa de vida global hoje é de 66 anos e em 2050 será de 72. No Brasil, a expectativa de vida de um bebê nascido hoje é de 75 anos. E para quem tem 60 anos é de 82, em média. De acordo com dados da OMS, no Brasil, os idosos passarão de 24,4 milhões para quase 70 milhões, em 2050.

O estudo da Organização conclui que há poucas evidências de que os anos adicionais de vida são desfrutados com melhor saúde do que no caso das gerações anteriores na mesma idade. A maioria dos problemas de saúde enfrentados por pessoas mais velhas são associados a condições crônicas, principalmente doenças não transmissíveis.

Com o crescimento da população de idosos, a OMS defende três grandes mudanças: tornar os lugares em que vivemos em ambientes amigáveis para as pessoas mais velhas, realinhar sistemas de saúde às necessidades dos idosos, e os governos desenvolverem sistemas de cuidados de longo prazo que possam reduzir o uso inadequado dos serviços de saúde agudos, garantindo a dignidade nos últimos anos de vida.

O Relatório Mundial sobre Envelhecimento e Saúde foi divulgado ontem por conta do Dia Internacional do Idoso, que é comemorado hoje.

Últimas de _legado_Brasil