Todos os passageiros de navio russo preso na Antártida são resgatados

Helicóptero chinês com capacidade para apenas 12 pessoas teve que realizar vários voos para salvar os 52 passageiros do navio

Por O Dia

Austrália - As equipes de resgate terminaram nesta quinta-feira a evacuação em helicóptero e barcaça dos 52 passageiros do navio russo Akademik Shokalskiy, que ficou preso no gelo antártico no dia 24 de dezembro. O helicóptero do navio quebra-gelo chinês Xue Long (Dragão de Neve) levou para um iceberg o grupo formado por cientistas, turistas e jornalistas, que foram transportados em seguida em barcaça para o navio quebra-gelo australiano Aurora Australis, informou a imprensa australiana.

"Conseguimos chegar ao Aurora Australis sãos e salvos. Muito obrigado aos chineses e a @AusAntarctic por todo seu trabalho duro!", assinalou o líder da expedição, Chris Turney, através de sua conta no Twitter. A Autoridade Australiana de Segurança Marítima, coordenadora da operação, informou que os 22 membros da tripulação permanecerão no Akademik Shokalskiy à espera que se derreta o gelo para sair da região.

Helicóptero chinês fez o resgate dos passageirosEFE

O único helicóptero do Xue Long tem capacidade para apenas 12 pessoas, por isso que realizou vários voos para resgatar os passageiros, entre eles, três latino-americanos. Desde que o Akademik Shokalskiy pediu ajuda no Dia de Natal, o resgate por via marítima e aérea tinha sido frustrado várias vezes por culpa das más condições meteorológicas na baía de Commonwealth, situada a cerca de 2.778 quilômetros ao sul da cidade australiana de Hobart, na ilha da Tasmânia.

Na última semana aconteceram até três tentativas para que navios quebra-gelos chegassem até o Akademik Shokalskiy, cercado por grossos blocos gelados, mas só o Aurora Australis conseguiu se aproximar até 20 quilômetros. O plano de Turney era continuar com sua expedição, uma vez que abrisse passagem, mas finalmente optaram pelo resgate dos passageiros e levá-los até a Tasmânia, dando assim fim à expedição.

52 passageiros de navio russo são resgatados na AntártidaEfe

Embora cercado no gelo, o navio russo não corre perigo de afundar e conta com abastecimento suficiente de mantimentos. O Akademik Shokalskiy, construído na Finlândia em 1982, relembrava a expedição feita há um século pelo explorador australiano Douglas Mawson na Antártida e que ofereceu o primeiro estudo completo do continente gelado. Os dados recolhidos por Mawson servem como base de comparação à atual missão organizada e dirigida por Chris Turney, especialista em mudança climática da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália. A chilena Alicia Guerrero, a chileno-australiana Naysa Balcázar-Cabrera e o ecólogo argentino Ezequiel "Ziggy" Marzinelli fazem parte da equipe científica no Akademik Shokalskiy.

Os cientistas, especialmente Turney, se valeram das redes sociais e da tecnologia para enviar mensagens e postar fotografias e vídeos desta aventura, interrompida pela imponente massa de gelo arrastada pelas correntes e ventos polares. 

Últimas de _legado_Mundo e Ciência