Irã diz que não haverá acordo nuclear enquanto sanções não forem retiradas

Anúncio foi feito pelo ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammed Yavad Zarif, que participou de uma intensa roda de negociações de cinco dias com as grandes potências

Por O Dia

Viena - O Irã advertiu nesta sexta-feira em Viena que o acordo nuclear que negocia com a comunidade internacionaldesde novembro do ano passado não poderá ser fechado a menos que as sanções impostas ao país sejam retiradas.

O anúncio foi feito pelo ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammed Yavad Zarif, que participou de uma intensa roda negociadora de cinco dias com as grandes potências. Zarif insistiu que no futuro da negociação é essencial resolver o tema das sanções - impostas por ONU, Estados Unidos e União Europeia - por sua negativa a colaborar para e esclarecer  o caso de seu programa de energia atômica.

O ministro se mostrou esperançoso de que o calendário inicial desta negociação possa ser cumprido e ser fechado um acordo antes da data prevista (dia 20 de julho), embora tenha indicado que as "excessivas exigências" de alguns países põem em risco esta possibilidade.

Zarif assinalou que seu país "não se retirará de suas posições" nem "vai passar por cima seu direito" de dispor de um programa deenergia atômica. Nesse sentido, se referiu repetidamente a sua determinação de continuar produzindo urânio enriquecido, um combustível que está nocentro da polêmica, devido a seu duplo uso, militar e civil.

"Podemos conseguir uma conclusão e ao mesmo tempo proteger os direitos do Irã", disse o ministro. Zarif voltará a se reunir em Viena a partir do dia 2 de julho comas grandes potências, que serão de novo coordenadas pela chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência