Filha de Zito nega ter encomendado morte de vereador iguaçuano

Ela teria pagado R$ 200 mil pelo serviço

Por O Dia

Rio - A estudante de Direito Linda Zito — filha do ex-prefeito de Duque de Caxias José Camilo Zito — negou em depoimento na 52ª DP (Nova Iguaçu), quarta-feira, ter contratado um traficante para matar o presidente da Câmara de Vereadores de Nova Iguaçu, Maurício Morais. Ela foi chamada para depor porque a delegacia recebera denúncia de que Linda teria pagado R$ 200 mil para um bandido da Favela do Dique, em Caxias.

Segundo a denúncia, a filha de Zito foi vista na favela no dia 15 deste mês conversando com traficantes do local. No depoimento que prestou, ela negou aas acusações. “É tudo mentira. Passei a maior parte do dia 15 na Praia da Barra da Tijuca”, afirmou a estudante.

Linda garantiu que nunca havia ouvido falar da Favela do Dique. “Não sei o motivo de terem inventado essas mentiras sobre mim”, afirmou ela, que participa de ações sociais em orfanatos de Nova Iguaçu.

A estudante concorreu em 2008 a uma vaga de vereadora em Nova Iguaçu pelo PSDB. No ano passado, ela trabalhou na campanha de Maurício Morais. Mas eles se desentenderam e acabaram se afastando.

Ontem, O DIA tentou falar com o presidente da Câmara de Nova Iguaçu, mas ele não retornou as ligações. O caso continuará sendo investigado na 52ª DP.

Últimas de Rio De Janeiro