Mais de 11 mil alunos ficam sem aulas após confrontos em comunidades

Dezessete escolas da rede municipal não funcionaram na Maré, Penha e Alemão por conta de diversas operações

Por O Dia

Rio - Os estudantes das escolas municipais de três regiões da cidade foram um dos grandes prejudicados das cenas de violências na manhã desta quarta-feira. Por conta de operações nos complexos da Maré, Penha e Alemão, mais de 11 mil alunos ficaram sem aulas. De acordo com a assessoria da Secretaria Municipal de Educação, na Maré, seis escolas, três creches e um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) não estão funcionando, prejudicando 6.840 alunos. Na Penha, quatro escolas e um EDI estão fechadas, com 3.010 sem aulas. E no Alemão, duas escolas não abriram e 1.308 alunos não tiveram aulas. No total, 11.158 alunos não tiveram acesso ao ensino nesta quinta.

GALERIA: Exército e polícia fazem operações em comunidades da Zona Norte

No Complexo da Maré, após um intenso tiroteio, militares da Força de Pacificação fizeram uma operação na região e encontram o corpo de um jovem, de aproximadamente 18 anos, ainda não identificado, na localidade do Conjunto Esperança. Há suspeitas de que ele seria um criminoso. Também houve tiroteio na Vila do João, onde o confronto aconteceu até às 6h.

A Força de Pacificação da Maré reforçou a segurança na região após o intenso confronto entre traficantes nesta quarta-feiraSeverino Silva / Agência O Dia

Por causa do confronto, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região ficou fechada por um determinado tempo. Agentes da Divisão de Homicídios da Capital (DH) investigam o caso. O trânsito na região enfrentou reflexos devido ao confronto. Temerosos com os tiros, os motoristas que trafegavam pelas Linhas vermelha e amarela diminuíram a velocidade do veículo e enfrentaram engarrafamentos. Em nota oficial, os militares afirmaram que a segurança na Maré está reforçada após os confrontos.

Criminosos ordenam que comércio na Vila Cruzeiro seja fechado

Na Penha, no início desta madrugada, policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), trocaram tiros com grupo de sete traficantes da favela da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, também na Zona Norte. Pelo menos quatro deles estavam armados e após ser baleado, um suspeito acabou morrendo ao dar entrada no Hospital Estadual Getúlio Vargas.

Com isso, traficantes ordenaram o fechamento do comércio em toda a área da Vila Cruzeiro. Apesar do reforço policial, o clima está tenso e moradores temem tiroteios e balas perdidas.

Material apreendido pelo Bope na Vila Cruzeiro foi encaminhado para a 22ªDP (Penha)Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Durante a operação, os agentes apreenderam mais de 1.200 trouxinhas de maconha, 208 papelotes de cocaína, uma pistola, granada e farta munição de vários calibres. O caso foi registrado na 22ªDP (Penha).

Já no Complexo do Alemão, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília foram recebidos a tiros por traficantes na localidade conhecida como Prédios Novos, por volta das 9h desta quarta-feira. De acordo com a assessoria da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), os PMs revidaram, mas não houve feridos. Os criminosos conseguiram fugir. O caso será registrado na 45ªDP (Alemão).

Também no início desta madrugada, policiais e traficantes trocaram tiros na Rua Nova Brasília, mas não houve registro de feridos ou presos.

Últimas de Rio De Janeiro