PSDB quer ter candidato a prefeito nas cidades com mais de 200 mil habitantes

Curiosamente, Rio e São Paulo devem ficar de fora da lista

Por O Dia

Rio - A palavra de ordem no PSDB é ter candidato próprio a prefeito ano que vem nas cidades com mais de 200 mil habitantes. O objetivo é preparar o terreno para a próxima eleição presidencial. Mas, curiosamente, Rio e São Paulo devem ficar de fora da lista: nos dois casos, indicariam o vice na chapa que seria encabeçada pelo PSB. Com isso, os tucanos querem fortalecer a aliança com os pessebistas para o pleito de 2018.

É cada vez mais forte no PSDB a corrente que quer Otávio Leite como vice de Romário no Rio. Os dois, que têm boa relação, encontraram-se no Maracanã, domingo. Negam, no entanto, que tenham tratado do assunto.

Generosidade

O cachê pago pela Riotur à cantora Alcione por apresentações no Terreirão do Samba no Carnaval pulou de R$ 76 mil em 2011 para R$ 150 mil em 2015 — um aumento de 97%. A prefeitura não foi tão generosa com outros artistas. Belo e Sandra de Sá, por exemplo, não tiveram reajustes no mesmo período.

Sem explicação

Procurada pelo ‘Informe’ na segunda-feira, a Riotur não comentou o aumento. A vereadora Teresa Bergher lembra que Alcione gravou jingle da campanha de Eduardo Paes em 2012.

Impopular
O ministro Gilberto Kassab (Cidades) se assustou ontem com vaias durante a entrega de 300 unidades do Minha Casa Minha Vida, em São João de Meriti. Foi avisado que elas eram destinadas ao prefeito de lá, Sandro Matos.

Bolsa-qualificação

O Ministério do Trabalho vai oferecer bolsas de até R$ 1.385,91, por cinco meses, para 1.500 trabalhadores prejudicados pelo incêndio no Nova América. O benefício dependerá de presença assídua em cursos de qualificação.

Esporte no aperto

Com pouca grana, o secretário de Esporte, Marco Antônio Cabral, estuda como replicar o projeto de Três Rios que promove ginástica artística para crianças da rede pública.

Fernando Molica está de férias

Últimas de Rio De Janeiro