Setor de construção pesada prevê redução drástica no número de empregados

Segundo dados do Ministério do Trabalho, 340 mil vagas acabaram entre maio de 2014 e o mesmo mês de 2015

Por O Dia

Rio - Se o desemprego começa a assustar muita gente, no setor de construção pesada o fenômeno assusta muito mais. A falta de projetos de investimento em obras faz com que grandes empresas prevejam que, em 2016, o número de seus empregados representará pouco mais de 30% do que havia no ano passado.

Dados do Ministério do Trabalho revelam que entre maio de 2014 e o mesmo mês de 2015 foram para o ralo 340 mil vagas na construção — 180 mil apenas em empreiteiras que cuidam de projetos de infraestrutra e montagem.

Casa e dívida

E o mercado imobiliário anda preocupado com os cancelamentos de contratos de compra de imóvel.

Efeito capixaba

Para o economista Mauro Osório, o aumento do desemprego em Macaé está relacionado à decisão da Petrobras de mandar para o Espírito Santo parte de instalações administrativas que ficavam na cidade — que, no estado, só perde para o Rio na geração de desempregados.

No governo

O PR do Rio demonstra, para desespero de Garotinho, ter pulado de vez o alambrado que o separava do governo. Seu líder na Assembleia Legislativa, Jair Bittencourt, foi convidado para participar de encontro que reunirá colegas de partidos que apoiam Pezão.

Uniformes

A Prefeitura de Seropédica vai doar para cinco mil famílias pobres 14 mil uniformes escolares comprados por administrações anteriores e que permaneciam estocados. Boa parte do material trazia marcas relacionadas a campanhas eleitorais. A propaganda foi eliminada das roupas. Ontem à noite, a Câmara da cidade afastou por 90 dias o prefeito Alcir Fernando Martinazzo, acusado de irregularidades.

Últimas de Rio De Janeiro