Menino de 4 anos é eletrocutado na roleta de estação do BRT em Madureira

Kaíque Diego está em coma. Seguranças sabiam do problema elétrico e não prestaram socorro, diz família

Por O Dia

O menino Kaíque Diego de Araújo Cardoso%2C de 4 anos%2C está internado em estado grave no Hospital Albert Schweitzer após ser eletrocutado na estação do BRT em MadureiraReprodução / Rede Record

Rio - Um menino de 4 anos foi eletrocutado na estação Mercadão do BRT Transcarioca, na Zona Norte do Rio, na tarde desta quarta-feira. Kaíque Diego de Araújo Cardoso recebeu a descarga quando passava pela roleta da estação, que foi fechada após o incidente. A criança está internada em coma no CTI do Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, na Zona Oeste. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, seu estado é grave.  

A família do menino acusa seguranças da estação de omissão, já que não prestaram socorro e disseram que 'era apenas um choque', reforçando que aquilo já teria ocorrido naquele dia. "O povo do BRT não fez nada. Simplesmente o guarda falou 'ah, foi só um choquezinho, de manhã já aconteceu isso' e o garoto estava desfalecido e veio um policial, um anjo, pegou ele e correu com ele para a maternidade. A gente vai processar o BRT. Os culpados que viram aquela roleta lá tem que ser punidos", disse Maria do Socorro Viana de Araújo, avó de Kaíque, ao Bom Dia Rio, da TV Globo.

De acordo com o consórcio BRT, um policial militar a serviço do corredor expresso socorreu o menino e o levou para a maternidade Herculano Pinheiro, ao lado da estação. Após receber os primeiros socorros, ele foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, e de lá foi transferido para o Albert Schweitzer.

Segundo o BRT, a estação Mercadão de Madureira está fechada para investigar o problema que causou o choque. Os passageiros devem se dirigir para as estações Otaviano e Manacéia, próximas do local.

LEIA TAMBÉM

Depois de tragédia em família de São Gonçalo, fios espalham medo nas ruas

Cão morre eletrocutado por cabo de poste da Ampla rompido em NiteróiA bateria de catracas onde o menino de 4 anos foi eletrocutado foi interditada para perícia. O caso está sendo investigado pela 29ª DP (Madureira). Um funcionário do BRT foi ouvido e parentes da vítima devem prestar depoimento. Imagens de câmeras de segurança serão analisadas.

O consórcio operacional do BRT lamentou a situação e disse que se colocou à disposição para colaborar.

BRT é autuado pelo Procon

Após o acidente, o Procon Estadual autuou o Consórcio Operacional BRT e destacou que o artigo 22 do Código de Defesa do Consumidor (CDC) estabelece que as concessionárias são obrigadas a fornecer serviços adequados, eficientes e seguros, o que não ficou configurado nesse caso.

O Consórcio BRT tem 15 dias úteis, contados a partir do recebimento da notificação, para apresentar defesa. Caso o prazo não seja cumprido ou os argumentos não sejam aceitos pelo setor jurídico do Procon Estadual, o consórcio será multado.

Últimas de Rio De Janeiro