Passagem livre para polo gastronômico

Fundado em 1503, bairro histórico de Cabo Frio atrai novos moradores e empreendedores. Casas antigas se valorizam

Por O Dia

Rio - Paz, tranquilidade e muito charme. É o que se encontra no Bairro da Passagem, em Cabo Frio. Além de belas praias, a cidade da Região dos Lagos encanta por sua história, contada em grande parte no rico conjunto arquitetônico, tombado pelo Patrimônio Histórico, na Passagem. Por tudo isso, o local vai virar um corredor gastronômico-cultural, segundo o prefeito Alair Corrêa (PP).

O bairro, às margens do Canal Itajuru, preserva casarões e pequenas casas em estilo colonial, vielas e calçadas com paralelepípedos, algumas ainda com pedras portuguesas. Marco histórico do país, foi ali que a cidade surgiu, em 1503.

Um dos principais atrativos é a praça do Largo de São Benedito, onde fica a igreja construída por escravos em 1740. O ar bucólico da antiga vila de pescadores é a maior atração do bairro, onde vivem cerca de 2 mil pessoas. E esse clima tem atraído turistas e visitantes a morar ou montar negócios no local, elevando os preços dos imóveis na área.

Carlos Alberto decidiu se mudar com a mulher do Rio para Cabo Frio e montou sua imobiliária na PassagemDivulgação

Fascinado pelo bairro, o corretor de imóveis Carlos Alberto Junior, de 35 anos, se mudou do Rio para a cidade junto com a mulher, Carolina Pacheco, 31, e inaugurou ali seu escritório. “Por enquanto é somente meu local de trabalho, mas gostaria muito de morar aqui. O bairro é sem igual, além de concentrar os melhores restaurantes e barezinhos da cidade”, diz ele.

Em sua imobiliária, uma casa antiga na Passagem é oferecida por R$ 1,2 milhão, com quatro quartos, sendo duas suítes, quintal e garagem. “Aqui só tem a crescer. O local está virando um centro hoteleiro e gastronômico”, garante. Segundo ele, novos empreendimentos estão se instalando no local, como pousadas e restaurantes. “A procura só aumenta. Aqui, com certeza é onde temos qualidade de vida”.

Segundo o coordenador de Turismo de Cabo Frio, Milton Roberto, para o bairro se transformar em pólo gastronômico-cultural, será necessário desapropriar terrenos e convidar a iniciativa privada a se estabelecer no local. “O bairro já abriga sete restaurantes, que têm atraído um público diferenciado e de alto poder aquisitivo”, disse.

O secretário exalta a importância da Passagem como uma atração para o turismo. “É o bairro onde a cidade nasceu e tem uma grande história para ser contada. Para o turismo, é um excelente atrativo. Então, o próprio bairro chama os turistas, e claro, os empresários, que trazem seus hotéis, pousadas e restaurantes”, completou.

História e beleza atraem cariocas

O pedaço de terra firme foi descoberto durante a terceira expedição naval portuguesa pelo litoral brasileiro. As caravelas atracavam na Praia do Forte e os barcos pequenos entravam pela única ligação do mar com a Lagoa de Araruama, o Canal do Itajuru. As águas calmas permitiram descarregar navios e estabelecer nova vida. E então o bairro da Passagem começou a crescer.

“Aqui me sinto fora da agitação da cidade, mesmo estando no Centro, e aprecio a história”, diz o aposentado carioca Luiz Roberto Araújo, 65 anos, que há quase 40 decidiu fincar raízes no pequeno bairro. Ao lado da mulher, a advogada Tereza Simões, abriu um restaurante onde serve frutos do mar e recebe amigos. “O bairro é valorizado não só pela beleza, mas pela tranquilidade”, conta.

As fachadas das casas antigas não podem ser trocadas ou modificadas. Novas casas podem ser construídas, porém, sob essas condições. A prefeitura realizou recentemente uma reforma no bairro, com pintura das fachadas das casas, muros, poda de árvores e vegetação nativa, além de recuperar a iluminação.

Reportagem de Vinicius Amparo

Últimas de _legado_O Dia no Estado