Editorial: Por tempos de corruptos na cadeia

O encarceramento de Odebrecht pelo juiz federal Sergio Moro ratifica o esforço de milhares de pessoas em esclarecer os podres da Lava Jato

Por O Dia

Rio - Acredita-se, fortemente, que no Brasil cadeia é para ‘ladrão de galinha’; quem tem colarinho branco sempre consegue protelar ou mesmo evitar a prisão. Ontem foi um dia para derrubar essa máxima. Marcelo Odebrecht foi condenado a quase 20 anos de prisão pelos malfeitos no Petrolão; e Luiz Estevão, notório embromador da Justiça, se apresentou às autoridades para enfim começar a cumprir 31 anos a que foi condenado.

O encarceramento de Odebrecht pelo juiz federal Sergio Moro — sem entrar no mérito de seus métodos polêmicos — ratifica o esforço de milhares de pessoas em esclarecer os podres da Lava Jato. Deve servir de exemplo para que empresas parem de locupletar com o governo, e vice-versa.

A prisão de Estevão é ainda mais simbólica. Tornou-se possível graças ao entendimento do STF que prevê cadeia já em segunda instância, e não só no trânsito em julgado — expediente usado até a exaustão por endinheirados. Se há culpa, que se aplique a justiça.

Últimas de Opinião