PMs que faziam escolta de Fat Family prestam depoimento nesta quinta-feira

Cinco policiais do 5º BPM (Praça da Harmonia) se apresentam nesta quinta-feira na Divisão de Homicídios, que investiga caso

Por O Dia

Rio - Cinco policiais que faziam parte da escolta do traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o Fat Family, quando ele foi resgatado por comparsas do Hospital Souza Aguiar, no Centro, no último domingo, prestam depoimento nesta quinta-feira na Delegacia de Homicídios da Capital, que investiga o caso.

Os investigadores querem detalhes sobre como era a escolta do criminoso e sua rotina na unidade de saúde nos seis dias em que ficou internado. Na última segunda-feira, o secretário de Segurança José Mariano Beltrame pediu rigor nas investigações.

Policiais no Souza Aguiar horas após o resgate de Fat Family. Policia investiga conduta dos PMs que faziam escoltaEstefan Radovicz / Agência O Dia

Um inquérito também foi aberto pela PM para apurar o caso. O 5º BPM foi informado pela Secretaria de Segurança da invasão, mas não reforçou o policiamento no hospital. Três oficiais da unidade acabaram exonerados após e respondem no Inquério Policial Militar (IPM): O ex-comandante do 5º BPM, tenente-coronel Wagner Guerci, o subcomandante da unidade e o chefe de operações do Comando Regional.

LEIA MAIS

PM faz operação pelo quarto dia seguido atrás de bando de Fat Family

Quase 40 tiros foram disparados no resgate de traficante em hospital


Últimas de Rio De Janeiro