Condutor de lancha que matou menina ganha a liberdade

Ele responderá por homicídio sem intenção

Por O Dia

Rio - Preso em flagrante no sábado, o condutor da lancha que atropelou e matou Maria Luiza Santana Serra, de 10 anos, em Cabo Frio, foi liberado após prestar depoimento na 126ª DP (Cabo Frio). Ele deve responder em liberdade aos crimes de homicípio culposo da menina e lesão corporal culposa (sem intenção de matar) das outras vítimas.

Segundo a Polícia Civil, o condutor Nostradamus Coelho não prestou socorro. Um exame de alcoolemia revelou que ele não estava embrigado. Atingidos no acidente, Gilmara C. Batista, de 39 anos, e André Luiz Nascimento, 29, passam bem.

Maria Luiza morreu decapitada quando passeava de ‘banana boat’ na Praia do Forte, em Cabo Frio. Ela foi enterrada domingo, no Cemitério Nossa Senhora Aparecida, no bairro Âncora, em Rio das Ostras, onde morava. A cidade está em estado de choque.

A Prefeitura de Rio das Ostras decretou luto de três dias, em solidariedade à família da vítima, e a escola particular onde ela cursava o 5º ano do Ensino Fundamental suspendeu as aulas. As turmas do 1º ao 5º ano no Centro Integrado de Ensino Educarte voltam às aulas na quarta-feira.

Em nota nas redes sociais, a escola informou que a professora da turma de Maria Luiza “não tem condições de cuidar do luto dos seus alunos em sala de aula”. E pediu aos pais que orientem seus filhos a enfrentar o trauma: “Sabemos que todos os alunos estão sofrendo e curiosos para entender a dimensão desse acidente, mas pedimos a cada família que cuide do luto dos seus filhos, fazendo as devidas explicações”.

'Banana boat' levava 20 pessoas

Na delegacia, o dono da ‘banana boat’ afirmou que transportava 20 pessoas. Segundo ele, a embarcação que guiava o brinquedo fez o resgate de algumas vítimas. Uma terceira embarcação também ajudou. A Capitania dos Portos recolheu a lancha e a embarcação que guiava a banana boat e abriu inquérito administrativo para investigar o caso.

Em nota, a Marinha informou que a colisão ocorreu fora da área delimitada para banhistas e que os condutores estavam habilitados. “As embarcações envolvidas, que estavam com a documentação regularizada, foram recolhidas na agência”.

Últimas de Rio De Janeiro