Máfia da merenda: dinheiro nas mãos

Foto mostra homem com maço de notas festejando. Polícia de São Paulo apura se é propina

Por O Dia

Rio - A Polícia Civil de São Paulo apreendeu uma foto em que um suspeito de integrar a máfia da merenda aparece exibindo maços de dinheiro. O homem foi identificado como Carlos Luciano Lopes, que trabalhava como vendedor na Coopertiva Orgânica Agrícola Familiar (Coaf). Ele foi preso no dia 19 janeiro e liberado após depoimento. Os investigadores ainda não sabem se o dinheiro que aparece nas imagens é resultado de propina.

A imagem foi coletada na primeira etapa da operação Alba Branca, que investiga um esquema de fraude em licitações para o fornecimento de merendas no governo do tucano Geraldo Alckmin.
De acordo com informações da ‘Folha de S. Paulo’, Lopes acusou o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Fernando Capez, de ser um dos beneficiários do esquema.

Em depoimento à Polícia Civil de Bebedouro em janeiro, Lopes apontou Capez como um dos beneficiários do esquema de pagamento de propina em contratos superfaturados de merenda. O deputado voltou a ser citado por presos na segunda etapa da operação, no último dia 29. Em delação premiada, o lobista Marcel Ferreira Julio, que atuava para a Coaf, disse que se encontrou duas vezes com Capez em 2014.

Em um dos encontros, disse ter visto o deputado ligar para a Secretaria de Educação para agilizar um contrato da Coaf e sinalizar que queria dinheiro para campanha. O deputado nega as acusações e afirma que as denúncias têm “cunho político”.

Últimas de Brasil