Aloysio Nunes divulga nota com críticas a secretário-geral da OEA

Luis Almagro chega hoje Brasil para “dialogar com Dilma e reiterar apoio à Constituição”

Por O Dia

Rio - O senador tucano Aloysio Nunes (SP) criticou nesta quinta-feira a posição do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, que se posicionou contra a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em nota, o tucano afirmou que a vinda do secretário-geral ao Brasil, às vésperas da votação do impeachment pela Câmara, é “um gesto oportunista, que, em nada contribui para amainar a crise no Brasil”.

“O senhor Almagro divulgou pelo Twitter sua viagem a Brasília no dia 15, para “dialogar com Dilma e reiterar apoio à institucionalidade e respeito à Constituição”, afirmou Aloysio. Segundo ele, as “declarações revelam completo desconhecimento sobre a situação política brasileira”.

Aloysio Nunes disse que a vinda de Almagro “é um gesto oportunista”Divulgação

A votação do processo de impeachment contra Dilma está repercutindo no mundo. Para o jornal britânico Financial Times, o afastamento da presidente pode ser apenas o começo de mais problemas para o Brasil. O correspondente do jornal no país, Joe Leahy, explicou o complexo cenário político que marcará a votação do processo na Câmara neste domingo.

Em formato de perguntas e respostas, o texto chama a atenção para o que chama de “julgamento político” de Dilma, embora ressalte as acusações relacionadas às pedaladas fiscais, que baseiam o pedido de afastamento.

O jornal norte-americano New York Times destacou que Dilma é “uma das raras figuras políticas não acusadas de enriquecimento ilícito”. O francês Liberation também fala da “pressão da direita” para apear Dilma do poder. 

Últimas de Brasil