MPF denuncia 21 por homicídio qualificado em rompimento de barragem em Mariana

Desastre ambiental completa um ano no próximo dia 5. Houve 18 mortes e um corpo desaparecido

Por caio.belandi

Minas Gerais - O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça 21 integrantes da cúpula da Samarco e representantes da Vale e da BHP Billiton, controladoras da empresa, por homicídio qualificado com dolo eventual - quando se assume o risco de cometer o crime - pela morte das 19 pessoas vítimas da queda da barragem da mineradora em Mariana, desastre ambiental que completa um ano no próximo dia 5.

Até o momento foram confirmadas 18 mortes. Um corpo ainda não foi encontrado. Todos eram moradores de Bento Rodrigues e funcionários da Samarco ou empresas terceirizadas da Samarco.

Entre os denunciados estão o então diretor-presidente da Samarco, Ricardo Vescovi, e representantes do conselho da Samarco por indicação da BHP e Vale, entre os quais estão um sul-africano, dois estadunidenses, um australiano é um francês.

Samarco, Vale, BHP Billiton e VogBr, prestadora de serviços de engenharia, também foram denunciadas, por crime ambiental.

Imagem aérea mostra a lama no Rio Doce%2C na cidade Resplendor (MG)%2C afetado pelo rompimento da Barragem do Fundão em MarianaFred Loureiro/Secom-ES


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia