Esplanada: Servidores da Funai se rebelam contra diretor de Administração

Presidente interino autoriza pagamento milionário para empresa sem parecer técnico

Por O Dia

Brasília - Demissão de funcionários sem consulta prévia a órgão colegiado, suspeita de intimidações e um pagamento milionário autorizado pelo diretor de Administração da Fundação Nacional do Índio (Funai), Francisco José Nunes Ferreira, o deixaram na mira dos servidores da entidade nesta sexta-feira, 1º. A Associação Nacional dos Servidores da Funai soltou nota nesta sexta-feira questionando as ações do diretor no órgão.

Apadrinhado pela bancada ruralista, Francisco Ferreira deixou o cenário interno mais tenso nesta sexta. Aprovou na quinta-feira — e o Diário Oficial publicou nesta sexta — o pagamento de quase R$ 10 milhões para uma empresa estudos de mapeamento. Segundo os servidores, sem qualquer consulta a outros departamentos.

Ferreira usou da caneta na presidência, como interino nesta sexta-feira, para assinar o Termo de Execução Descentralizada (TED). O presidente Franklinberg de Freitas não se encontra em Brasília. O dinheiro, exatamente R$ 9.968.936,82 , via (TED), será destinado ao Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), segundo a Funai para "estudo metodológico de sistematização de informações e dados primários e secundários que suportem acesso em tempo real por parte da FUNAI, de entidades governamentais e de usuários".

Mas pesou também o histórico do diretor no órgão. De meses para cá, o apadrinhado da bancada ruralista tem sido alvo de críticas — estas que vieram à tona nesta sexta-feira em nota oficial da Associação dos Servidores.

Na nota, eles apontam ações de Ferreira como "Recolher os recursos financeiros das demais diretorias, à revelia, em favor de um possível contrato de monitoramento de Terras Indígenas" (caso supracitado); e também o pedido de demissão de um subordinado para empregar um suspeito de licitação irregular no BRB. Nesta sexta-feira, a Funai está em clima tenso. Não bastasse o caso do diretor, os coordenadores das 37 regionais do órgão estão em Brasília para treinamento, a Oficina de Planejamento Estratégico.


Por Leandro Mazzini

Últimas de Brasil