Dilma perde até em casa

Pesquisa Datafolha mostra que a presidenta perde pontos em redutos do eleitorado do PT

Por O Dia

Três informações da última pesquisa do Datafolha, divulgada no domingo, são preocupantes para o governo federal por atingirem redutos do eleitorado petista. A presidente Dilma Rousseff perdeu quatro pontos no Nordeste em relação a abril deste ano entre os que avaliam seu governo como ótimo/bom. Dilma registra, agora, 14%. Em dezembro do ano passado, logo após ganhar as eleições, ela obteve 53% de boa avaliação. Também entre os eleitores com ensino fundamental, o ótimo/bom caiu de 16% para 13%. Em dezembro, Dilma marcava 54% de popularidade. Por último: em dezembro, os entrevistados que ganham até dois salários-mínimos e avaliavam a gestão petista como ótima ou boa eram 50%. Diminuíram para 14% em abril e agora são 11%. Do outro lado da balança, a avaliação entre ruim e péssimo cresceu naqueles três redutos: oito pontos no Nordeste, passando a 58%; oito pontos também entre os que têm o ensino fundamental, chegando a 64%; e cinco pontos entre eleitores que recebem até dois salários-mínimos, subindo para 62%.

Aécio sai ganhando

A derrocada petista tem forte impacto na sucessão de 2018. Aécio Neves aparece com dez pontos percentuais de vantagem sobre Lula. Excluídos os votos brancos, nulos e indecisos, soma 41,66% dos votos válidos, mais do que obteve no primeiro turno, em 2014. Lula, na faixa entre 25% e 26%, recuou para próximo do patamar histórico do PT (em torno de 1/3). Mesmo sem propaganda sistemática na TV, o nome de Aécio sai reforçado. Seu prestígio aumentou junto ao eleitor e ele largaria na frente Lula.

Impressionante!

O casamento de Marcela, filha do senador Eunício Oliveira, no sábado, em Brasília, reuniu 1.500 pessoas, num terreno duplo, com mais de 5 mil metros quadrados de área verde, à beira do Lago Paranoá. Foi uma das mais impressionantes fesstas do gênero nos 55 anos da capital. A exemplo da presidente Dilma, o vice Michel Temer só assistiu à cerimônia.

Depois de São João

A votação da redução da desoneração fiscal, a mais importante medida do ajuste, corre o risco de ser adiada novamente. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, resolveu anistiar os ausentes na data marcada para levar o projeto ao plenário, 24, quando se comemora o dia de São João. Os 151 deputados nordestinos não cometeriam a loucura de faltar à mais importante festa popular de sua região. Principalmente numa época como a de hoje, de grave crise de escassez de voto.

Até ela?!

A forte suspeita de que teria sido gravada a conversa com religiosos, na qual Lula fez fortes críticas à presidente Dilma e ao PT, reforça a constatação de alguns militantes: a igreja também parece estar se afastando do partido. O fenômeno já foi registrado também junto à CNBB.

Últimas de _legado_Notícia