João Vicente de Castro estreia em novelas vivendo um vilão

Em 'Rock Story', ator disputa Alinne Moraes com Vladimir Brichta, tenta puxar o tapete do amigo e recuperar a ex-namorada

Por O Dia

João Vicente de Castro estreia em novelas vivendo um vilãoDivulgação

Rio - João Vicente de Castro é um publicitário conhecido por ser um dos integrantes do ‘Porta dos Fundos’ e também por seu currículo amoroso estelar, com nomes como Cleo Pires e Sabrina Sato — no momento, está solteiro. A partir do dia 9 de novembro, ele passará a ser também conhecido como Lázaro, o grande vilão e manipulador, de ‘Rock Story’, próxima trama das 19h, da autora Maria Helena Nascimento, na Globo. “Eu quero ser odiado”, torce.

A TRAMA
No folhetim, Lázaro é o melhor amigo de Gui Santana (Vladimir Brichta), mas nunca perdoou o parceiro por ter “roubado” a namorada dele, Diana (Alinne Moraes). Além disso, Lázaro nunca engoliu o fato de, quando eram jovens, Gui ter saído da banda que eles tinham para seguir carreira solo. Apesar de todo o rancor, o vilão ficou do lado do amigo, ou melhor, virou empresário dele.

“Comigo, nunca aconteceu de me apaixonar por namorada de amigo. Eu amo tanto os meus amigos que jamais faria isso com um amigo meu. Roubar namorada minha? Ninguém tem competência para isso (risos)”, acredita. Mas o ator lembra que já aconteceu de um amigo ficar interessado em uma mulher que estava com ele. “Não sou ciumento. Aí, eu falei: “Irmão, tem um problema aí...!”, conta, aos risos.

AMIGO INVEJOSO
A questão da inveja é algo bastante sério, e João Vicente afirma que está acostumado a lidar com esse tipo de situação. “Tenho um amigo, um amigão de muitos anos, que eu sei que ele é invejoso. Ele é mais competitivo. Eu o amo. Ele não é mau-caráter, é competitivo, é diferente. Ele é super bem-sucedido. Não é uma amizade que me faz mal. Mau-caráter é uma coisa, competitividade é outra. Também não gosto da competitividade, mas é menos pior do que o mau-caratismo”, frisa.

Ainda na novela, Lázaro é quem descobre e também empresaria o grande rival de Gui: o astro pop Léo Regis (Rafael Vitti). Apesar do conflito de interesses, ele sai ileso da disputa entre os músicos. “O meu personagem só faz uma coisa na vida: manipular as pessoas. Ele, como todo bom vilão, vai enganando as pessoas até um dia que, talvez, elas descubram. Ele é mais do que irônico, ele é falso”, sintetiza.

MEDO DE NÃO DAR CERTO
Antes de abraçar de vez a carreira de ator, Castro conta que optou por publicidade por uma questão de praticidade. “Não queria ficar estagnado no carioquismo do Baixo Gávea e da cerveja”, lembra. “Por isso que fui para publicidade. Eu tinha medo de não dar certo como ator, ficar no meio do caminho”, completa. Foi aí que se mudou para São Paulo, e a carreira de publicitário começou a ganhar forma, mas um tempo depois veio outra inquietação. “Comecei a me perguntar: ‘Será que eu não volto e faço o que queria ter feito, o que sempre quis, que é ser ator?”, salienta. Foi o suficiente para o carioca voltar à cidade natal em busca do seu sonho.

O convite para ‘Rock Story’ veio a partir da ligação de Maria de Médicis, diretora da novela. “Ela perguntou se podia dar o meu número para o Dennis Carvalho, diretor artístico da Globo. Ela disse: ‘Vai na minha...’. Eu falei: ‘Tá’”. Com o convite feito, João Vicente iniciou sua preparação com o preparador Eduardo Milewicz, da novela, e também com um preparador pago por ele mesmo. “No dia a dia é muito texto, é fala pra caceta, é muita coisa. Na internet, para fazer três vídeos, eu tinha cinco páginas para decorar”, compara.

CHORA OUVINDO FADO
Como a novela trata de música, Castro conta que tem uma relação muito próxima com essa forma de arte. Às vezes, fica em casa, sozinho, tomando vinho e ouvindo música. Além disso, já teve uma banda, aos 18 anos. Era o baixista. “Mas era um desastre. Eu queria ser profissional, mas não era”, recorda-se, aos risos.
Já tem um tempo que o ator está cada vez mais encantado com o fado. “Gosto de ouvir Ana Moura, Carminho, Zambujo, esse disco novo dele é inacreditável. Eu vou direto a Portugal e acho fado uma das coisas mais lindas e sensíveis do mundo. Choro feito uma criança”, revela.

PROJETOS PARALELOS
Sócio do ‘Porta dos Fundos’, Castro precisou dar um tempo na sua participação em vídeos do grupo para conciliar outras funções. “Faço teatro esporadicamente. Não dá para eu achar que sou capaz de fazer tudo ao mesmo tempo. Tenho que focar. Mas o ‘Papo de Segunda’, do GNT, sigo firme e forte”, diz ele, sobre o programa que divide com Marcelo Tas, Leo Jaime e Xico Sá. Por conta da correria, João Vicente tem dormido cada vez menos. Segundo ele, seria capaz de dormir 67 horas consecutivas sem problema. E justifica: “Sou dorminhoco. Mas, ultimamente, tenho dormido entre 3 e 4 horas, olha a olheira”, lamenta, aos risos. 

Últimas de Televisão